Opas avisa que Covid-19 continuará se espalhando mesmo após a vacina 23/09/2020

Washington, 23 de setembro de 2020 (AFP) – A Organização Pan-Americana da Saúde alertou na quarta-feira que a Covid-19 continuará a se espalhar mesmo após uma vacina e pediu aos países que se preparassem para imunizar a população sem baixar a guarda . com as medidas tomadas para conter as infecções.

Carissa Etienne, diretora da OPAS, o escritório regional da Organização Mundial da Saúde (OMS), disse que além de os cientistas descobrirem uma vacina “eficaz” e “solução durável” contra o covid-19, os países devem “seja realista” sobre seu escopo. agora mesmo.

“Este vírus continuará a se espalhar e as pessoas continuarão a ficar doentes, mesmo quando a vacina for distribuída”, disse ele em entrevista coletiva. “Portanto, não podemos colocar todas as nossas esperanças apenas nas vacinas. Como tantas vezes acontece na saúde pública, não existe solução mágica”, afirmou.

Carissa pediu que se mantivesse a confiança nas diretrizes impostas para minimizar a disseminação do vírus: exames diagnósticos, rastreamento de contatos e quarentena, além da distância física, lavagem frequente das mãos e uso de máscaras em público.

“Peço aos países de todo o mundo que se preparem para uma vacina contra o coronavírus, mas também que sejam realistas, sabendo que essas preparações não substituem tudo o que devemos fazer hoje para salvar vidas”, enfatizou.

– Cuidado com as novas fotos –

Carissa lamentou as mais de 200 mil mortes causadas pela Covid-19 nos Estados Unidos e lembrou que Brasil, Peru, Colômbia, México e Argentina continuam entre os 10 países com maior número de casos no mundo.

Com quase 28% dos 31,6 milhões de casos confirmados e um terço das mais de 971 mil mortes registradas em todo o mundo, a América Latina continua sendo a região mais afetada pela doença. Ciro Ugarte, Diretor de Emergências de Saúde da OPAS, pediu especialmente que se mantivesse a precaução para evitar novos surtos, como os da Europa.

– Aposte no Covax – Dezenas de vacinas estão sendo desenvolvidas ao redor do mundo, mas apenas 10 estão na fase 3 de testes clínicos. A OMS, em coordenação com o grupo da aliança global de vacinas Gavi e a Coalizão para Inovações em Preparação para Epidemias (Cepi), criou um mecanismo para garantir a distribuição equitativa de futuras vacinas contra Covid-19. A meta é que a unidade, conhecida como Covax, tenha 2 bilhões de doses de vacinas seguras até o final de 2021.

De acordo com Carissa, a Covax oferece acesso a uma cesta de 15 vacinas potenciais. “Por meio da Covax será garantido que as doses iniciais aos países participantes abranjam pelo menos 3% de sua população nos estágios iniciais de distribuição, até 20% da população”, o suficiente para proteger as pessoas em maior risco ”, explicou.

Até o momento, 156 países aderiram à Covax, mas nem os Estados Unidos nem a China, as maiores potências econômicas do mundo, estão entre eles. Segundo Carissa, 14 países e territórios foram agregados na região das Américas: Argentina, Bahamas, Belize, Bermudas, Ilhas Cayman, Chile, Colômbia, Panamá, Paraguai, Peru, Suriname, Saint Kitts e Nevis, Turks e Caicos e Venezuela.

Dez membros da OPAS são elegíveis para receber apoio da Covax: Bolívia, Dominica, El Salvador, Grenada, Guiana, Haiti, Honduras, Nicarágua, Santa Lúcia e São Vicente e Granadinas.

Brasil, Antígua e Barbuda, Ilhas Virgens Britânicas, Costa Rica, Cuba, República Dominicana, Equador, Guatemala, Jamaica, México, Montserrat, Trinidad e Tobago e Uruguai também confirmaram sua intenção de participar, disse Carissa.

ad / dg / lb

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira Bezerra

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *