Oposição afirma que mais de 6 milhões de venezuelanos participaram de consulta popular rejeição das eleições parlamentares | Mundo

A consulta começou na segunda-feira (7) virtualmente e terminou presencialmente neste sábado. Segundo os organizadores, 3,2 milhões de eleitores foram às urnas na Venezuela e 844 mil no exterior. Além disso, 2,4 milhões participaram antecipadamente pela internet.

O objetivo dos organizadores era mostrar a rejeição dos venezuelanos ao presidente Nicolás Maduro.

Na consulta popular, os venezuelanos responderam que sim Apoiar os mecanismos de pressão nacionais e internacionais em favor de eleições presidenciais e parlamentares livres. e sim rejeitar a eleição do último domingo, quando o partido de Maduro recuperou o controle do Congresso e ganhou 255 das 277 cadeiras em um boicote da oposição.

Segundo o Conselho Nacional Eleitoral (CNE), cerca de 5,2 milhões de eleitores votaram nas eleições legislativas, 31% do total elegível para votar na Venezuela.

O líder da oposição venezuelana Juan Guaidó cumprimenta eleitores após visita a uma seção eleitoral durante consulta popular realizada neste sábado (12) – Foto: Manaure Quintero / Reuters

Menos popular do que quando ele foi proclamado presidente da Venezuela, em janeiro de 2019, Guaidó – reconhecido como presidente interino por 50 países, incluindo o Brasil – foi o principal criador da consulta popular.

“Hoje # 12Dez estamos na rua, no espaço onde nos tornamos maioria. Mostraremos unidos e mobilizados que não desistiremos até que vejamos renascer a liberdade em nosso país. Participe do #HoyTodosEnLaConsultaPopular! ”, Escreveu ele em sua página em uma rede social.

Não é a primeira vez que a oposição pede um processo de consulta. Uma iniciativa semelhante Aconteceu em julho de 2017, na rejeição da Assembleia Constituinte convocada por Maduro, após meses de protestos que deixaram 125 mortos.

Apoiadores do presidente Nicolás Maduro participaram de manifestação neste sábado (12) – Foto: Fausto Torrealba / Reuters

Apesar do rechaço que a oposição capitalizou no plebiscito simbólico, em agosto do mesmo ano foi instalado o órgão 100% chavista, assumindo funções legislativas na prática.

A oposição disse então que reuniu 7,6 milhões de votos para repudiar o órgão, que deixará de funcionar este ano para dar lugar a uma nova Assembleia Nacional em 5 de janeiro.

VÍDEO: Partido de Maduro vence eleições legislativas na Venezuela

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *