Os Malkia Strikers estão de olho na bola

O líbero do Malkia Strikers, Agrippina Kundu, recebe a bola durante a partida do grupo olímpico contra a Coreia do Sul na quarta-feira em Tóquio. [FIVB]

Isso poderia ter sido melhor. Mais dinheiro. Mais felicidade. Mais esperança e foco.

Do jeito que está, diz-se que a equipe nacional de vôlei feminino do Quênia está precisando. Eles precisam de mais dinheiro em sua base de treinamento no Osasco Volleyball Club em São Paulo, Brasil.

Apesar de enfrentar dificuldades financeiras, o Malkia Strikers está determinado a chocar seus adversários no Campeonato Mundial marcado para 23 de setembro a 13 de outubro na Holanda e na Polônia.
A equipe, que está acampada no Brasil no mês passado, está em crise financeira, pois apenas 44.000 xelins foram entregues a cada jogador desde que chegaram ao Brasil.

No entanto, o primeiro vice-presidente da Federação de Voleibol do Quênia (KVF), Charles Nyaberi, garantiu à equipe que as coisas vão melhorar.
A equipe deve retornar em 5 de setembro antes de voar para a Sérvia para mais partidas de aquecimento de 12 a 19 de setembro, antes de seguir para a Holanda para o Campeonato Mundial de 20 de setembro a 16 de outubro.

O técnico da equipe, Paul Bitok, disse que a equipe mostrou uma grande melhora em seu acampamento de um mês no Brasil.
“Fizemos sete amistosos aqui no Brasil e vimos uma grande conquista nos jogadores”, disse o técnico após jogar sua sétima partida contra o Taubaté no sábado.

Eles perderam por 3-2 (22-25, 25-23, 22-25, 25-19, 7-15).
“Em geral, a equipe está mais determinada a alcançar grandes coisas. Agora estamos bem no início, mas terminar nos últimos pontos parece ser o nosso ponto fraco”, disse o treinador.
“Tivemos uma grande melhoria nas recepções, bem como no bloqueio, com os jogadores do centro coordenando bem com os jogadores da ala.”

O Malkia Strikers viajará para a Sérvia para mais amistosos antes de seguir para a Polônia, onde ficará sediado durante a final mundial.

Malkia está no Brasil graças ao Programa de Capacitação da FIVB, que ajuda as equipes a se prepararem para o Campeonato Mundial, que será co-organizado pela Holanda e Polônia de 23 de setembro a 15 de outubro.

O Quênia está no grupo A, que tem a campeã europeia Itália, Holanda, Bélgica, Porto Rico e Camarões.
O Programa visa melhorar o desempenho das seleções nacionais de voleibol de todo o mundo com os recursos humanos e técnicos necessários para desbloquear o seu potencial.
Isso é feito atribuindo alguns dos melhores treinadores, treinadores, fisioterapeutas e analistas de dados às equipes.

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.