Os Malkia Strikers pedem ajuda enquanto se preparam para o evento mundial

O líbero Agrippina Kundu, do Malkia Strikers, recebe a bola durante a partida do grupo olímpico contra a Coreia do Sul na quarta-feira em Tóquio. [FIVB]

Ninguém sentiu mais do que o técnico do Malkia Strikers, Paul Bitok, depois que o governo não conseguiu ajudar a equipe atualmente no Brasil.

A equipe está se preparando para o Mundial, marcado para 23 de setembro a 15 de outubro, na Holanda e na Polônia.

“Estamos com dificuldades financeiras no Brasil porque o governo não veio em auxílio da equipe”, disse Bitok.

“Meu pedido ao Ministério da Esportes é que eles paguem as diárias e outras contas pendentes para que a equipe possa focar nos treinos para ter o melhor desempenho no próximo Mundial”, disse o técnico.

Em abril, a Federação de Voleibol do Quênia enviou um orçamento de sh 46 milhões ao Ministério da Esportes para facilitar sua logística que incluía passagens aéreas, cessão de jogadores, entre outras facilitações, mas o governo não se comprometeu.

Em 21 de junho, o Ministério da Esportes através do Departamento de Estado Esportes emitiu um memorando para todas as federações dizendo que o governo não estava em condições de patrocinar equipes para eventos internacionais.

“Portanto, é para informar a todas as federações que esperam financiamento do governo que não será possível receber financiamento devido a restrições orçamentárias e, em vez disso, as federações devem buscar patrocínio de outras organizações”, diz o memorando. Esportes Ministro Chefe Secretário Joe Okundo e assinado por Joel Atuti em nome do Diretor Esportes.

Para salvar o Quênia da suspensão da Federação Internacional de Voleibol (FIVB) caso não participasse do Campeonato Mundial, uma empresa de jogos local, a MozzartBet veio em socorro da equipe concedendo um patrocínio de Sh10 milhões que permitiu que a equipe viajasse ao Brasil para o programa de treinamento de alta atitude.

No entanto, apesar dos problemas financeiros no campo de treinamento da equipe, Bitok disse que a equipe continua treinando.

“Até agora, jogamos 10 partidas competitivas onde conseguimos vencer três. Ainda temos mais dois amistosos antes da equipe embarcar no próximo programa”, disse Bitok.

Bitok disse que a equipe não viajará de volta ao Quênia como esperado após o treinamento no Brasil devido a atrasos decorrentes da aprovação do visto para a Holanda recebida na quinta-feira.

“Não pudemos viajar de volta ao Quênia conforme planejado, pois as circunstâncias não nos deram outra escolha e tivemos que nos ajustar ao novo cronograma”, disse Bitok.

A equipe voará para Belgrado, na Sérvia, na próxima quarta-feira, para dois amistosos e, em seguida, voará para a Holanda em 20 de setembro, pronta para a ação a partir de 23 de setembro.

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.