Os trabalhadores afetados pelo coronavírus devem receber parte do seguro-desemprego

O governo deve estender a todos os trabalhadores que reduziram o horário de trabalho e os salários ou a suspensão dos contratos de trabalho o direito a uma parte do seguro-desemprego, devido à crise causada pela pandemia do novo coronavírus, segundo descoberto Estadão / Broadcast. A proposta anterior era que apenas funcionários com salário de até R $ 3.135 teriam acesso à ajuda do governo, mas esse bloqueio ocorreu a pedido do presidente Jair Bolsonaro.

Para agilizar a edição da Medida Provisória (MP) com os valores da indenização, o procurador-geral da União, André Mendonça, interpôs Ação Inconstitucional Direta (Adin) no Supremo Tribunal Federal (STF) solicitando que os artigos da Lei das diretrizes O orçamento 2020 (LDO) e a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) não são considerados para as despesas de enfrentamento da crise durante o período de calamidade.

Esses artigos dificultaram a edição do MP por exigirem, em propostas que levassem a uma diminuição da renda ou a um aumento dos gastos federais, a apresentação de remuneração para fins de adequação orçamentária e financeira. Segundo o Estadão / Broadcast, assim que o STF é pronunciado, o governo está pronto para editar o MP.

Os detalhes da expansão da remuneração dos trabalhadores foram discutidos hoje com Bolsonaro. O presidente disse que era necessário abri-lo a todos os trabalhadores para que não haja diferenciação entre aqueles que terão uma carga de trabalho reduzida, que pode ser de 25%, 50% ou 65%.

A área econômica ainda está finalizando os cálculos, mas a estimativa é de que o custo adicional seja “um pouco menos de R $ 10 bilhões” acima da estimativa anterior, que era de R $ 36 bilhões, conforme previsão de Estadão / Broadcast. O governo garantirá, em todos os casos, que a remuneração paga pelo governo e a parte paga pela empresa totalizem, no mínimo, um salário mínimo (R $ 1.045).

FGTS

O governo também está fechando os detalhes finais da nova rodada de saques do FGTS. Segundo o Estadão / Broadcast, o lançamento deve ser superior aos R $ 500 por conta anunciada no ano passado. Os membros da equipe econômica mantêm a quantia exata bloqueada.

A idéia é que todos os trabalhadores que possuem saldo no fundo de garantia possam trocar parte de suas contas. A nova rodada de retirada imediata do FGTS também se aplicará àqueles que se inscreveram para o retiro de aniversário, no qual o cotista troca parte de seu saldo anualmente, mas renuncia à retirada do valor total no momento da demissão sem causa. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

You May Also Like

About the Author: Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *