Osasco vence a primeira partida da final, rebaixa recorde de invencibilidade do Sesi-Bauru e está a um passo do título paulista | voleibol

O Osasco quebrou a invencibilidade do Sesi-Bauru no Campeonato Paulista ao vencer, em casa, por 3 sets a 2 (parciais 25/15, 21/25, 25/18, 18/25 e 16/14) a primeira partida da decisão. Já o time do Osasque pode conquistar o 15º título estadual da cidade na próxima terça-feira, em Bauru. Na noite de sábado, na academia José Liberatti, os dois times alternaram entre bons e maus momentos, mas a grande atuação do adversário Tandara, artilheiro da partida com 23 pontos, pesou a favor dos donos da casa.

Com o resultado, o Sesi-Bauru não pode mais repetir a campanha pelo título paulista de 2018, quando foi campeão invicto, com nove vitórias em nove jogos, vencendo o Osasco na final. A Seleção da Grande São Paulo, vice-presidente há dois anos, pode até perder a partida na próxima terça-feira, às 21h30, com transmissão de SporTV 2, na academia Panela de Pressure, no interior de São Paulo, desde que conquiste o Golden Set na sequência. O Sesi-Bauru ainda precisa vencer o jogo e o Golden Set para conquistar o segundo título estadual de sua história.

Osasco 3 x 2 Sesi / Bauru pontos finais da 1ª partida da final de Voleibol feminino paulista

O Sesi-Bauru veio invicto na decisão contra o Osasco, perdendo apenas um set em sete jogos. Porém, por esta razão, demorou apenas 21 minutos para perder o segundo set da competição. O Osasco começou bem melhor e abriu 8-2, graças a erros do Sesi. O time de Bauru conseguiu balancear o jogo com a colaboração também dos erros do Osasquenses. Mas nesses erros (10 em 5), o Osasco conseguiu aproveitar melhor o primeiro conjunto ruim dos dois principais atacantes rivais: Tiffany foi alvo do saque dos donos, não conseguia nem passar nem atacar bem. Polina Rahimova, por sua vez, não respondeu quando foi acertada por bolas que a equipe esperava retornar. Tandara e Tainara corresponderam às expectativas. No final, dez pontos à frente no primeiro set: 25/15.

No segundo set parece que os jogadores do Sesi finalmente percorreram os mais de 300 quilômetros que separam Bauru do Osasco e chegaram à final. Tiffany e Rahimova foram decisivos no ataque e a confiança voltou à quadra visitante, do saque ao bloqueio. Afinal, com as duas equipes na quadra com todas as forças, os tão esperados duelos começaram. Enfrentamento entre atletas com passes na seleção brasileira e que pode valer, no futuro, até uma vaga nas Olimpíadas de Tóquio. Roberta x Dani Lins na enquete, Bia x Adenízia no meio, Jaque x Suelle no volume de jogo … Além de um duelo que pode ocorrer também nas próximas Olimpíadas, entre Camila Brait e a dominicana Brenda Castillo, que Já foi eleito o melhor líbero do mundo (a seleção da República Dominicana estará no grupo do Brasil em Tóquio). Tudo isso para dizer que o segundo set foi de alto nível e bem disputado, desta vez com vitória do Sesi-Bauru por 25/21.

Os técnicos Luizomar de Moura, de Osasco, e Anderson Rodrigues, de Bauru, certamente se irritaram, mais uma vez, no início do terceiro set, com os erros de suas equipes. E em um duelo repleto de estrelas, jogadores de apoio como o zagueiro da equipe da casa, Mayany, se destacaram em pontos importantes no terceiro set. Anderson ainda tentou trazer os visitantes de volta ao jogo movimentando o time, mas as reservas em quadra, mesmo com boas atuações, não fizeram com que o Sesi-Bauru reduzisse a brecha que Osasco abriu no meio do set. O poder de Tiffany e Rahimova estava faltando. E o Osasco venceu mais um set (25/18). Foi uma partida totalmente diferente da vitória de Bauru por 3 a 0 sobre o Osasco, há menos de um mês, nas eliminatórias.

O quarto set começou com as levantadoras apostando nas bolas de confiança: Roberta chamou Tandara para fechar o jogo, enquanto Dani Lins se dividiu entre Tiffany e Rahimova. E quase tudo deu errado para as donas de casa. A confiança do único time invicto do Paulista era muito alta. Foi a vez de Luizomar tentar mudar o jogo com a entrada de alguns de seus reservas. Não surtiu muito efeito porque Bauru já estava abrindo uma boa lacuna no placar. Uma gangorra com cada equipe jogando bem um set, alternadamente. E o jogo foi para o tie-break após 25/18 para o Sesi.

O quinto e decisivo set teve Osasco abrindo o placar desde o início e Bauru se recuperando. Osasco abriu de novo e Bauru teve fôlego para voltar a conversar com as donas de casa. Portanto, os últimos pontos foram com o coração na mão. Ponto por ponto. Voltagem. E Tandara fez a virada: 16 para 14.

A última e decisiva partida será na terça-feira, às 21h30, no ginásio Panela de Pressure, em Bauru, transmitido pelo SporTV 2. Em caso de vitória do Osasco, o título será decidido no set dourado, ou seja, um sexto set que sobe para 25 pontos.

Tiffany, do Sesi-Bauru, ataca bloqueio de Mayany e Jaque, de Osasco, na final paulista – Foto: Amanda Demétrio / SESI-SP

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *