Ovo e emoji: quarentena da Páscoa mantém tradição com o uso da tecnologia: um sistema simples

Um sisteminha simples

Freepik

Chegamos a um momento especial, mas muito diferente do comum: a Páscoa! Quem sabia que teríamos uma Páscoa no meio de uma quarentena? É até curioso que, para a tradição católica, haja a Quaresma antes da Páscoa, que é de 40 dias para guardar alguns símbolos e ritos especiais para se preparar para a Páscoa. Mas agora, mesmo aqueles que não seguem a Quaresma precisam ficar em quarentena em casa (o que não é exatamente 40 dias) …

Para as conversas que acontecem redes sociais, percebemos que, para alguns, os feriados passam como dias normais, devido a limitações nas comemorações. E ainda é um momento de apreensão e sofrimento, principalmente para os afetados pela doença. Não é algo que alguém da nossa geração tenha passado, tudo é muito novo. Mas ainda há muitas famílias que estão juntas isoladas, ou que estão juntas digitalmente, lembrando e celebrando a Páscoa.

Reprodução / Twitter

Hoje eu queria celebrar aqui as possibilidades que a tecnologia nos deu para desfrutar de celebração e família, mesmo em meio a distância e limitações. Este ano, comprei ovos de chocolate para minhas filhas (a mais velha não se importa com chocolate, então ela prefere presentes mais interessantes). Foi a primeira vez que comprei ovos de Páscoa para internet. A comida a ser preparada para o domingo também foi comprada on-line. E minha mãe, que mora na cidade vizinha e está isolada, está gostando das crianças por meio de videochamadas e troca de mensagens (e muitos emojis).

Participamos do jantar com nossa igreja local, conectada por vídeo. Eu me reúno na Igreja Presbiteriana Independente e toda a rotina da igreja foi transformada em mídia on-line. Pudemos contar a história de Jesus, a crucificação e a ressurreição para várias crianças na igreja através de vídeos e foi uma experiência muito interessante.

Além disso, a tecnologia ajudou em outro ponto importante da Páscoa nos dias de hoje: a quebra de pão. Os necessitados também foram ajudados pela tecnologia. Vemos vários grupos reunidos em redes para coletar e distribuir alimentos para os necessitados, combinando e articulando online. Ele também possui vários projetos on-line para reunir pessoas que podem imprimir equipamentos de saúde em 3D, como máscaras de proteção e peças de respiradores, para doar para equipamentos de saúde.

Também podemos ver a tecnologia que ajuda pequenos comerciantes e freelancers que seriam os mais afetados pelo isolamento. As pessoas têm se ajudado pela Internet a anunciar os serviços, e isso tem sido muito bom. Atualmente, já compramos frutas e legumes de um vendedor do mercado que promove esses grupos e também de padarias que precisavam manter apenas a entrega. Até compramos sanduíches e brigadeiros de um freelancer que também está anunciando online. Sim, como mais enquanto estou em casa e acabo comprando mais online. Até o café, encontrei boas entregas em Maringá (se você precisar, darei uma dica: D).

Não há como ignorar que é um momento difícil para todos, mas sem a tecnologia atual, tudo seria muito mais afetado. É muito bom ver que pessoas nas mais diferentes áreas conseguiram se reinventar pela Internet e que ainda há boa vontade nas pessoas que dividem o pão em suas casas e ajudam os necessitados.

Feliz Páscoa a todos!

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *