Pandemia lidera cidade pequena para se juntar à alfabetização digital e à nova economia

Cidades Mais Inteligentes

Besjunior

Eu tenho acompanhado de perto a evolução do COVID-19 no Brasil. Esse momento de abertura que o país está passando, pelo menos aqui, não parece coincidir muito com as figuras oficiais e não oficiais da evolução da pandemia. Aqui na Itália, ainda estamos em processo gradual de abertura, mas com números super-controlados e monitorados diariamente pelo governo e pela sociedade. Hoje, gostaria de compartilhar com vocês como estamos preparando nossas cidades para esse “novo normal” de que muitos falam.

Depois de criar a fanpage Smart School Veneto, que discuti com você em outro texto, o programa de recuperação econômica nasceu como a primeira resposta oficial estruturada à crise econômica gerada pela pandemia e foi dividido em três fases: alfabetização digital, mercado digital e apoio econômico a empresas locais e promoção de empreendedorismo. e inovação.

Fase 1 – Alfabetização digital

Focada em empreendedores de pequenos municípios, mas disponível a todos, foi criada a “Rovolon Digital Academy”, uma academia local, digital e 100% on-line, com cursos de atualização rápida ou, para muitos, literalmente alfabetização nas várias ferramentas disponíveis em Internet.

Partindo do pressuposto de que a alienação digital se deve mais ao medo do desconhecido do que à convicção pessoal, o desafio ficou claro desde o início: como atrair a atenção e envolver uma comunidade tradicional conhecida por sua nome e sobrenome e quem está extremamente acostumado ao contato físico?

A estratégia era focar na criação de conteúdo 100% na comunidade local. Para isso, foi contratado um influenciador digital (youtuber) para criar tutoriais em vídeo que levem em conta aspectos da cultura e tradição da região, tudo em um idioma acessível a todos, de bonecas a super veteranos.

Para criar um senso de rotina quando estamos em casa 24 horas por dia, sete dias por semana, definimos uma agenda para o conteúdo a ser publicado. Portanto, as aulas acontecem todas as segundas e quartas-feiras às 19 horas (horário de Milão), e os vídeos duram em média 20 minutos.

O curso do Instagram varia de como abrir um perfil a dicas de como promover sua empresa on-line

O projeto começou com Facebook, seguido por Instagram e Whatsapp para empresas, todas postadas na página de fãs após o formato de estreia, que permite enviar e agendar vídeos pré-gravados para transmissão em uma página de mídia social, adicionando os benefícios do Facebook Live com conteúdo mais personalizado. Para responder às perguntas dos cidadãos-estudantes-seguidores, uma aula ao vivo era realizada uma vez por semana.

A comunicação foi feita pelo grupo do Facebook e contou com o recurso “Get Reminder” que, quando registrado, as partes interessadas recebem uma notificação vinte minutos antes da transmissão.

Fase 2 – mercado digital Km Zero – www.rovolondigitale.it

Para incentivar a reabertura gradual da economia, um mercado digital com promoções de empresas municipais. Disponível gratuitamente para o fornecedor e os consumidores através de uma parceria com a plataforma Billetto, da Dinamarca, as ofertas seguem uma lógica de eventos: devem ter um escopo, datas definidas e uma quantidade total pré-estabelecida por quem oferece os produtos e / ou serviços.

A idéia era criar uma rede local de ajuda mútua, onde, por um lado, os cidadãos são chamados a consumir localmente e ajudar as empresas da cidade na recuperação econômica e, por outro, empresas que oferecem preços mais acessíveis, Ajudando assim a comunidade que teve uma perda significativa em seu poder de compra. O conceito é literalmente vizinho que ajuda os outros.

O projeto foi elaborado para que a ignorância digital constituísse uma barreira no processo, para que cada empreendedor interessado só precise preencher um formulário inicial, que varia de acordo com o setor econômico, e toda a produção de conteúdo digital é de responsabilidade da equipe da esboço, projeto.

Plataforma Billetto.com personalizada para o projeto.

O setor de turismo e gastronomia (restaurantes e produtores de vinho), muito forte na região e um dos mais afetados pela pandemia, foi o primeiro a ingressar na plataforma em 27 de abril. O prato de macarrão, carnes grelhadas e batatas fritas que geralmente custam 20 euros foram oferecidos por 15 euros. Embora a entrega fosse gratuita em um raio de 15 km, aqueles que escolheram pegar a comida diretamente no restaurante receberam uma garrafa de vinho local.

O resultado foi excelente: as vendas cresceram mais de 400% em relação às semanas anteriores, atingindo tempos quase “normais”. Embora todas as iniciativas tenham surgido no universo online, a maioria dos pedidos foi feita por telefone, o que mostra que, embora os cidadãos ainda não tenham confiança para realizar transações on-line, seguem o que acontece em redes sociais e reagir positivamente às promoções.

Atualmente, restaurantes, açougues, padarias, artigos de papelaria, produtores de vinho, sapatarias e serviços de jardinagem são algumas das atividades disponíveis na plataforma e em breve poderão fazer vendas e receber pagamentos on-line.

Como o projeto não possui monetização direta, a cidade ou alguém designado por ela deve assumir a administração do sistema após a fase de avaliação. Para deixar um legado digital para a cidade como um todo, em troca, solicitamos que as empresas sigam os cursos da Rovolon Digital Academy (da fase 1) e desenvolvam e mantenham seus perfis de negócios nas principais redes sociais.

As duas fases iniciais tiveram um custo total de implementação e gerenciamento de 5.000 euros (aproximadamente R $ 30.000), pagos por duas empresas privadas, como patrocínio. Apesar de não ter investido nas duas primeiras fases, a cidade teve um papel fundamental no carimbo e na promoção do projeto por meio do prefeito que participou ativamente da implementação.

Fase 3 – Apoio econômico e incentivo ao empreendedorismo e inovação.

As previsões econômicas para pós-covid-19 na Itália são catastróficas. Segundo a Fipe-Confcommercio (Federação Italiana de Exercícios Públicos), uma associação líder no setor de restaurantes, entretenimento e turismo, na qual mais de 300.000 empresas operam, o bloqueio imposto às empresas pode levar à falência por mais de 50 Mil empresas italianas e aquelas que “sobrevivem”, principalmente as pequenas, terão que se reinventar para esse novo mundo.

Para aproveitar as oportunidades que surgirão após a pandemia, a cidade decidiu investir pesadamente no empreendedorismo local e estabeleceu quatro ações principais:

  • Promover novas empresas.

A prefeitura assumirá todos os custos de abertura e contabilização de empresas individuais simples, denominada regime de taxa fixa, equivalente ao MEI (microempreendedor individual) no Brasil, durante seus primeiros 12 meses e também garantirá os custos e a gestão operacional para o fechamento do a qualquer momento dentro de um ano, se necessário. A mensagem para o cidadão é simples: você quer tentar um futuro diferente e apostar? Estaremos com você do início ao fim!

A ação, aberta a todos, residentes ou não no município, também visa eliminar atividades informais anteriormente consideradas menores, como babás e trabalhadores independentes em serviços digitais.

Devido ao cancelamento das aulas na Itália até setembro, a demanda por babás é alta e só cresce. Para apoiar famílias com crianças de até 12 anos, o governo federal oferece 600 euros para contratar profissionais para ajudar nas atividades diárias, como babás, mas os custos devem ser comprovados por faturas. A formalização da profissão também contribui para a formação de profissionais em primeiros socorros.

A fim de fornecer um apoio mais efetivo aos cidadãos empresariais, o município abrirá, no final de junho, o primeiro espaço de coworking gratuito e público 100% no município, COlliWORKING. Além de oferecer um espaço físico para trabalhar com Internet de alta velocidade e vários programas de treinamento, a ação também contribui para uma mudança de mentalidade, afinal, estamos falando de uma cidade rural ultra-tradicional, com apenas 5.000 habitantes.

A cidade estenderá a todos os novos negócios todos os incentivos que já estavam disponíveis para empresas estabelecidas antes da crise, como linhas de crédito de “custo zero”. Oferecido por um banco regional, enquanto o empresário é responsável pelo montante emprestado, a cidade paga os juros do empréstimo.

Para complementar as várias estratégias do programa KM 4.Zero Economy, o governo da cidade iniciou várias negociações para fechar parcerias estratégicas. Entre eles, podemos citar o projeto Rovolon Summer School. Envolve o planejamento, coordenação e execução de uma escola de verão com dois objetivos principais: ajudar as famílias do município na gestão de seus filhos durante os três meses de férias escolares (junho, julho e agosto) e, ao mesmo tempo, gerar renda para empresas locais e cidadãos desempregados.

Para o projeto, a cidade assinou um acordo com o Frassanelle Villa Papafava, um parque privado, e com o Frassanelle Golf Club. O projeto começou na segunda-feira, 15 de junho e estará em operação durante os três meses de verão. Os dois locais receberão um total de 100 crianças para atividades recreativas, esportivas, educacionais e educacionais, entre 9h e 16h30.

Principais atividades planejadas para o projeto Rovolon Summer School.

Estão previstas oficinas de história da arte, educação física, música, aulas de inglês e aulas particulares, em colaboração com o departamento regional de educação e duas oficinas especiais de tecnologia: o grupo de programação, em associação com a TechStation Padova e a Apple School, em cooperação direta com a Apple Italia.

Finalmente, todas as crianças terão um programa especial de aulas de golfe, que será realizado três vezes por semana durante a escola de verão.

Como sua cidade foi preparada ou estruturada para este período de reabertura? Compartilhe suas experiências locais conosco e ajudaremos nosso país nesta longa e provavelmente difícil recuperação econômica. Vejo você no próximo texto.

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira Bezerra

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *