Papagaios extintos voltam ao Brasil

A arara-azul voltou a viver livremente em seu Brasil natal depois de ser extinta na natureza graças a um esforço de conservação internacional notável e pioneiro.

A situação do papagaio foi destaque no filme de animação de 2011. Rio, que contava a história de uma arara-azul engaiolada chamada Blue. O filme não foi apenas um sucesso de bilheteria, mas também deu o impulso para devolver o papagaio à natureza.

Observe que os vídeos externos podem conter anúncios.

Em homenagem ao naturalista alemão John Baptist Ritter von Spix que primeiro coletou um espécime em 1819, a situação do papagaio sul-americano começou quando sua terra natal no nordeste do Brasil foi destruída pelo pastoreio excessivo e pela extração de madeira.

Seu destino foi então selado pelo fato infeliz de que sua distinta plumagem azul se mostrou irresistível para colecionadores de pássaros em todo o mundo, com o resultado de que, na virada do milênio, a arara-azul foi declarada extinta na natureza. .

Cerca de duas dúzias de araras-azul estavam em coleções particulares em todo o mundo e essas aves engaioladas tornaram possível iniciar um ambicioso programa de reprodução em cativeiro.

Agora, oito araras-azul finalmente foram soltas com sucesso na natureza no Brasil.

“Até agora, todas as aves soltas estão vivas, permanecendo juntas como um bando, voando e se alimentando na área de soltura”, diz Tom White, da Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA que é assessor técnico do projeto. “O show está indo tão bem quanto poderia agora.”

Um dos aspectos mais desafiadores do projeto foi que a criação em cativeiro reduziu as habilidades instintivas de sobrevivência das aves.

Em 11 de junho de 2022, as primeiras oito araras-azul foram soltas na Caatinga brasileira. © Associação para a Conservação de Papagaios Ameaçados (ACTP)

Para remediar isso, o programa usou uma abordagem pioneira ao liberar oito araras selvagens junto com araras-azul para atuar como treinadores.

“Isso forneceu às araras ingênuas ambientalmente ‘mentores’ bem adaptados que poderiam mostrar a elas onde encontrar comida nativa e alertá-las sobre possíveis predadores”, explica White.

Esta é uma das primeiras vezes que uma estratégia de ‘bando de espécies mistas’ foi usada e seu sucesso significa que ela pode ser aplicada a outras reintroduções que enfrentam desafios semelhantes.

Todas as aves liberadas estão em idade reprodutiva e devem começar a se reproduzir no próximo ano.

Imagem em destaque: Arara de Spix (Cyanopsitta spixiilisten)) é uma espécie de papagaio que está extinta na natureza há mais de 20 anos. © Associação para a Conservação de Papagaios Ameaçados (ACTP)

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.