Para fortalecer equipes, o governo quer antecipar a graduação de estudantes de medicina

JBr.

Para fortalecer as equipes de profissionais de saúde na luta contra o novo coronavírus, o governo federal quer antecipar a graduação dos estudantes que estão nos estágios finais do treinamento médico. Uma medida semelhante foi tomada na Itália, onde a doença já matou mais de 4.800 pessoas desde o último sábado.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, falou sobre a estratégia neste domingo, 22, em reunião com prefeitos de capitais, realizada por videoconferência.

“Agora vamos antecipar as crianças do sexto ano que estão a um ou dois meses da graduação. Vamos acelerar Esses garotos são jovens. Eles não têm experiência, mas podem fazer parte do serviço. Eles têm 7,3 mil horas de treinamento. Faça uma imersão por eles ”, orientou o ministro.

A idéia não é lançar os alunos em estágios críticos de atendimento, como em centros de terapia intensiva, mas atribuí-los a algum processo de uma maneira que permita melhor uso de outros profissionais.

O ministro também orientou os prefeitos sobre o que fazer com os profissionais do sistema público de saúde com mais de 60 anos. A recomendação não é eliminá-los, mas direcioná-los para alguma atividade que não exija contato direto com pacientes com suspeita de coronavírus.

“Você tem inúmeras possibilidades. Não pense no médico apenas como a pessoa que ficará na sua frente sofrendo de doença e morrendo. Não há médico para quem você não possa ligar “, disse ele.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *