Pedro Martins volta a qualificar o Olympiacos para a Liga dos Campeões | Futebol internacional

Olympiacos, Dínamo de Kiev e Ferencvaros são as três primeiras equipes a superar o Pague acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões. A equipa grega, comandada por Pedro Martins, conseguiu pelo segundo ano consecutivo garantir uma vaga no Campeonato, enquanto os ucranianos, agora comandados pelo experiente Mircea Lucescu, regressam após três anos de ausência. Para os húngaros, é quase uma novidade: 25 anos depois, o Ferencvaros entra na fase de grupos da principal competição da UEFA.

Depois de um primeiro duelo complicado no Pireu – a 20 minutos do final, empate a zero – Pedro Martins colocou dois portugueses de volta aos “onze” (José Sá e Rúben Semedo) e fez o segundo volta contra os cipriotas, de Vítor Gomes, quase sempre controlado.

Sem o habitual 12º jogador (adeptos) nos jogos de Nicósia, o Omonia nunca conseguiu dominar o jogo e foram os gregos que quase sempre estiveram mais perto de marcar. Porém, o jogo no Estádio GSP terminou sem golos, resultado que bastou para o Olympiacos se qualificar.

Ainda mais simples foi a classificação do Dínamo de Kiev, que voltará à fase de grupos dos campeões. Depois de cair nas últimas três temporadas na 3ª rodada de qualificação (2017-18 e 2019-20) e Pague (2018-19), os ucranianos já davam um grande passo há uma semana, com a vitória por 2-1 em Gent e, na capital ucraniana, os belgas nunca deram a volta ao empate.

Liderado agora pelo septuagenário Mircea Lucescu, que conhece o futebol ucraniano como poucos, o Dínamo começou a vencer aos nove minutos, com gol do meia Vitaliy Buyalskyy, e, antes do intervalo, do uruguaio Carlos Peña, que já havia marcado no primeira mão, fez o 2-0 na marca de grande penalidade.

Com a qualificação no bolso frente a um Gent que, com o exportador Laurent Depoître no ataque, atacou bastante (mais de 20 remates), mas sempre mal, o Dínamo voltou a beneficiar de um penalty pouco depois da volta do vestiário, Foi perdida pelo luso-luxemburguês Gerson Rodrigues, que marcou na final por 3-0.

Muito mais emocionante foi o empate entre Ferencvaros e Molde. Depois de um jogo na Noruega com mudanças constantes no melhor marcador e um empate final com três golos, o histórico clube húngaro chegou ao encontro de Budapeste com a vantagem de apenas necessitar de esconder os golos para garantir um passaporte sem precedentes para a fase de grupos. da Liga dos Campeões. E foi isso que Ferencvaros fez.

Depois de uma partida equilibrada na Groupama Arena, húngaros e noruegueses não marcaram, o que permitiu a festa dos Ferencvaros: depois de participarem da fase de grupos em 1995-96, as “águias” de Budapeste voltam ao palco principal do futebol europeu .

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *