Pesquisas mostram primeira ascensão de Lula este ano na corrida presidencial do Brasil

BRASÍLIA, 11 Mai (Reuters) – O líder de esquerda do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, obteve ganhos pela primeira vez este ano em duas pesquisas de opinião divulgadas nesta quarta-feira, ampliando sua vantagem sobre o atual presidente Jair Bolsonaro nas eleições de outubro.

Uma pesquisa da Genial/Quaest disse que Lula tem uma vantagem de 17 pontos percentuais sobre seu rival de extrema-direita, acima dos 14 pontos do mês passado, enquanto uma pesquisa do PoderData mostrou o ex-presidente do Partido dos Trabalhadores com uma vantagem de 7 pontos percentuais, dois a mais de quinze. dias atrás. .

O questionamento de Bolsonaro sobre o sistema de votação eletrônica do Brasil e os confrontos com o Supremo Tribunal Federal e o Supremo Tribunal Eleitoral lhe custaram os votos dos moderados do Brasil e paralisaram os ganhos recentes, disse o diretor de pesquisas da Quaest, Felipe Nunes.

Inscreva-se agora para ter acesso ilimitado e GRATUITO ao Reuters.com

Embora Bolsonaro tenha criticado o sistema como aberto a fraudes, a desconfiança das urnas eletrônicas entre os brasileiros diminuiu, de 27% em setembro para 22% do eleitorado, segundo a pesquisa Genial/Quaest, que mostrou que o apoio a Bolsonaro diminuiu . caiu após três meses de ganhos.

Se as eleições fossem hoje, Lula ganharia 46% dos votos contra 29% de Bolsonaro, uma vantagem que subiu para 17 pontos percentuais de 14 pontos em abril. Lula está agora dentro da margem de erro da pesquisa para chegar a 50% dos votos e vencer a eleição, de acordo com a pesquisa da Quaest.

Se a disputa chegar ao segundo turno, Lula venceria Bolsonaro por 54% a 34%, disse.

A pesquisa PoderData mostra Lula vencendo o primeiro turno por 42% dos votos contra 35%, pequenas mudanças que estão dentro da margem de erro. Duas semanas atrás, a corrida estava em 41% em comparação com 36%.

Outra medida de Bolsonaro que assustou os eleitores moderados foi perdoar seu aliado, o deputado Daniel Silveira, horas depois que o Supremo o sentenciou à prisão por ameaças contra o Judiciário e o sistema democrático do Brasil.

A pesquisa de Quaest mostrou que 45% dos eleitores discordaram do perdão, enquanto 30% o aprovaram.

“Os eleitores acreditam que o presidente está errado em confrontar a Suprema Corte, questionar a credibilidade das urnas eletrônicas e perdoar um deputado condenado pela Justiça”, disse Nunes.

Os eleitores moderados são fundamentais para vencer as eleições porque a maioria dos apoiadores de Bolsonaro ou Lula já decidiu em quem vai votar e, entre os moderados, 54% desaprovam o perdão e apenas 17% o aprovam, acrescentou.

A pesquisa Quaest, encomendada pelo Banco Genial, entrevistou 2.000 pessoas entre 5 e 8 de maio, enquanto a PoderData, divisão de pesquisas da revista digital Poder360, entrevistou 3.000 pessoas por telefone entre 8 e 10 de maio. Ambas as pesquisas têm margem de erro de 2 pontos percentuais.

Inscreva-se agora para ter acesso ilimitado e GRATUITO ao Reuters.com

Informações de Anthony Boadle; Editado por Raju Gopalakrishnan e Lisa Shumaker

Nossos padrões: Os Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.