Piquet é multado em £ 780.000 por comentários racistas contra Hamilton

Em entrevista a um podcast brasileiro em novembro de 2021, Piquet usou uma calúnia racial referindo-se ao heptacampeão mundial Hamilton, ao ser questionado sobre sua opinião sobre a queda de Hamilton no Grande Prêmio da Inglaterra com Max Verstappen.

Piquet se desculpou por seus comentários quando eles surgiram em junho passado, dizendo que sua linguagem “foi mal pensada e não a defendo”.

Ele também afirmou que foi mal traduzido porque o termo depreciativo que ele usou “é aquele que tem sido amplamente e historicamente usado coloquialmente no português brasileiro como sinônimo de ‘cara’ ou ‘pessoa’ e nunca teve a intenção de ofender”.

Mas quatro grupos de direitos humanos, incluindo a Aliança Nacional LGBT+ do Brasil, levaram o assunto ao tribunal, processando Piquet por 10 milhões de reais em danos não pecuniários.

Na sexta-feira, a Vara Cível de Brasília condenou Piquet a pagar metade do valor exigido, R$ 5 milhões, o equivalente a 780 mil libras esterlinas. Você pode apelar.

Na sentença, o desembargador em questão afirmou que o valor da multa representa não apenas “a função reparadora da responsabilidade civil, mas também (e talvez principalmente) a função punitiva, justamente para que, enquanto sociedade, possamos um dia nos livrar os atos perniciosos que são o racismo e a homofobia”.

Na época, os comentários de Piquet geraram condenação generalizada do paddock da F1 e, em uma resposta na mídia social, Hamilton escreveu: “Essas mentalidades arcaicas precisam mudar e não têm lugar em nosso esporte. Estou cercado por essas atitudes e estive na mira toda a minha vida. .”

“É mais do que uma linguagem. Essas mentalidades arcaicas precisam mudar e não têm lugar em nosso esporte.”

“Estive cercado por essas atitudes e me concentrei durante toda a minha vida. Tive muito tempo para aprender. Chegou a hora de agir.”

Lewis Hamilton, Mercedes-AMG

Foto por: Steve Etherington / imagens de automobilismo

O campeão mundial de 1981, 1983 e 1987 foi posteriormente banido do paddock da F1 e também suspenso como membro honorário do British Racing Drivers Club.

Hamilton, o único piloto negro na F1 e o único campeão mundial negro, tem estado na vanguarda de um esforço para melhorar a diversidade e a inclusão no automobilismo.

Ele estabeleceu a Comissão Hamilton, que produziu um relatório sobre a representação dos negros no automobilismo.

Com base nas conclusões desse relatório, Hamilton e Mercedes lançaram a instituição de caridade Ignite para atrair mais estudantes de origens sub-representadas para a educação STEM. A instituição de caridade está alinhada com a fundação pessoal Mission 44 de Hamilton.

Na preparação para o Grande Prêmio do Brasil do ano passado, Hamilton tornou-se cidadão honorário do país.

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *