Por que Wolff não se arrependeu de estar ausente da vitória de Russell no GP do Brasil

Toto Wolff revelou por que não se arrependeu de estar ausente do Grande Prêmio do Brasil, fim de semana em que George Russell conquistou sua primeira vitória na F1.

O chefe da equipe Mercedes havia viajado cedo para Abu Dhabi, sede da final da temporada de 2022 uma semana depois, para algumas reuniões e, como tal, não estava em Interlagos para o que acabou sendo o evento de maior sucesso da campanha da equipe.

No entanto, ele admite que ainda estava imerso no que estava acontecendo graças ao poder da tecnologia.

“Foi outra experiência interessante que não pensei que teria”, disse Wolff ao além da rede podcast.

“Eu já estava em Abu Dhabi, tinha algumas reuniões de negócios para fazer lá. Sentei-me no quarto do hotel com interfone completo para poder ouvir e falar em todos os canais que normalmente teria.

“Mandei construir as telas do tempo, a transmissão da TV, então foi literalmente a mesma situação da garagem. Não pensei em ficar em um hotel, porque simplesmente mergulhei [myself] na situação”.

Wolff feliz em entregar os holofotes

Depois de vencer a corrida Sprint de sábado, Russell largou da pole position para o Grande Prêmio do Brasil. Seu companheiro de equipe Lewis Hamilton juntou-se a ele na primeira linha, subindo da terceira posição após um pênalti de Carlos Sainz.

A equipe conquistou uma vitória por 1–2, que também marcou sua única vitória na temporada.

Apesar disso, Wolff ficou feliz em deixar outros membros da equipe ficarem no centro das atenções após seu triunfo, em vez de estar lá ele mesmo.

“Quando vencemos, Susie me disse: ‘Bem, aposto que você se arrependeu de não ter estado lá'”, explicou Wolff.

“E eu não fiz, na verdade, de jeito nenhum, porque é sempre sobre mim e os pilotos. Damos entrevistas, somos o centro das atenções, recebemos todo o crédito pelo trabalho que ele fez.” outras.

“Não estar lá foi um sentimento de orgulho, orgulho das pessoas que estavam lá e orgulho das fábricas, e eu não tirei a luz do sol.” [from the others].

“Temos Shov [Andrew Shovlin] conversando, e Bradley [Lord] e James [Vowles], e eles são o coração e a alma da equipe. Eu não poderia estar mais orgulhoso na época, e não poderia estar mais feliz por mim mesmo, ao ver aqueles caras operarem do jeito que eles fizeram.”

Wolff reflete sobre corridas perdidas com a Mercedes

Wolff raramente esteve ausente de uma corrida de F1 durante seu tempo com a Mercedes, tendo perdido apenas três nos últimos 10 anos.

Relembrando alguns problemas que o time enfrentou na primeira partida, o austríaco se orgulhou de ver o sucesso do Flechas de Prata desta vez no Brasil.

“Perdi três corridas em meus 10 anos com a Mercedes; o Japão foi este ano e depois o Brasil há alguns anos, quando [had] já selou o campeonato”, explicou Wolff.

“Lembro que eles estavam por toda parte. acabou em uma situação [where] a equipe não sabia se deveria jogar contra Lewis ou não, e então Lewis disse: ‘Bem, cabe a você decidir.’

“Desde então eles [have joked to me]’Bom, foi tão ruim, porque agora você vai voltar porque viu como ficou ruim!’

“Vê-los operar no nível que fizeram durante todo o fim de semana [at Brazil 2022, with] eu não estar aqui, ainda é algo de que vou me orgulhar [of] para sempre.”

Questionado se ficou tentado a voar para o Brasil depois de ver seus pilotos largarem da primeira fila, Wolff disse: “Não, teria sido tarde demais e oportunista demais.

“Eles chegaram lá sem minha participação. Fiquei tentado na quinta-feira [to make] um salto de última hora sobre o oceano, mas então havia muito e eu precisava estar no Oriente Médio primeiro.”

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *