Prefeito do Rio preso em esquema de corrupção

São Paulo, Brasil

O prefeito cessante do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, foi preso na terça-feira por suposta participação em um esquema de corrupção na prefeitura, segundo autoridades.

Três empresários, um chefe de polícia aposentado e o ex-tesoureiro de campanha de Crivella também foram presos. Todos foram acusados ​​de crime organizado, lavagem de dinheiro e corrupção ativa e passiva.

Crivella, aliado do presidente Jair Bolsonaro, foi preso em sua casa na Barra da Tijuca, região oeste do Rio, por volta das 6h (09h00 GMT). Antes de entrar na delegacia, ele negou qualquer irregularidade e disse que foi alvo de perseguição política.

Quando questionado sobre suas expectativas após sua prisão, ele respondeu: “Justiça”.

Crivella, um pastor evangélico que se tornou político que deve deixar o cargo em 1º de janeiro depois de perder uma candidatura à reeleição para seu antecessor, Eduardo Paes, disse a repórteres que não sabia o que estava acontecendo.

A prisão de Crivella ocorre nove dias antes do final de seu mandato.

Seu deputado faleceu em 2018 e o titular da Câmara Municipal, Jorge Felippe, assumirá suas funções enquanto o prefeito estiver preso.

O prefeito eleito Paes escreveu no Twitter que sua equipe continuará trabalhando na transição de poder e revelou que conversou com Felippe e pediu que ele “mobilizasse as lideranças municipais para continuar cumprindo suas funções e atendendo a população”.

A mídia brasileira informou que durante a campanha para as eleições locais em novembro, Crivella disse repetidamente que Paes, o prefeito da cidade quando o Rio sediou as Olimpíadas de 2016, seria preso se eleito devido a outras investigações.

As prisões fazem parte de uma operação policial que resulta de uma investigação parcialmente baseada em um depoimento de confissão de culpa. O depoente admitiu ter lavado dinheiro para um grupo ligado à Crivella, que opera um esquema no qual subornos são pagos em troca de contratos públicos, disseram os promotores.

O governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, está suspenso do cargo desde agosto por ter sido vinculado a irregularidades em meio à luta contra a COVID-19. Ele também está lutando contra um processo de impeachment que pode entregar o cargo ao seu vice, também sob investigação.

Cinco ex-governadores do estado do Rio foram presos nos últimos anos por acusações de corrupção.

O site da Agência Anadolu contém apenas uma parte das notícias oferecidas aos assinantes do AA News Broadcasting System (HAS), e de forma resumida. Contate-nos para opções de assinatura.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *