Prefeitura de SP produz equipamentos para coronavírus em oficinas de fabricantes – Ricardo Cavallini

Prefeitura de SP produz equipamentos para coronavírus em oficinas de fabricantes - Ricardo Cavallini

Quem me acompanha na coluna conhece o esforço que os fabricantes de todo o Brasil estão fazendo para produzir máscaras faciais, outros equipamentos de proteção individual (EPI) e iniciativas ainda mais complexas, como projetos de respiradores.

E, como todos sabemos, mesmo com essas iniciativas, faltam equipes.

A Prefeitura de São Paulo possui 12 centros com várias equipes, para que os cidadãos possam aprender a ser fabricantes e desenvolver seus protótipos. Existem impressoras 3D, cortadores a laser, fresadoras, plotadoras, ferramentas manuais (serras, lixadeiras, furadeiras, etc.), máquinas de costura e outros equipamentos, um aparelho muito rico.

Existem 12 espaços, quatro dos quais são maiores. Eu acho que é uma iniciativa tão importante que, quando a lancei, escrevi um texto dizendo que há mais pessoas em São Paulo com acesso a um helicóptero do que a uma ferramenta como essa. Ainda mais importante porque estão em comunidades carentes como Heliópolis, Cidade Tiradentes e Vila Itororó.

Acredito demais no movimento dos fabricantes. Nos últimos anos, treinei mais de 5.000 pessoas, de cinco anos a executivos de 70. Como eu disse em outro texto, com mais fabricantes, incentivaríamos a inovação como nunca antes no país. . Isso é verdade mesmo para as empresas, que terão que se reinventar após a crise.

Não consigo imaginar a pressão que os líderes estão sentindo agora, mas me incomodou muito ver os espaços da Prefeitura fechados. Nesta pandemia, toda semana conta, todo dia conta. Comentei isso em minhas redes e hoje recebi um WhatsApp do prefeito Bruno Covas.

O conselho da cidade, mas nas palavras de Covas, está “em plena carga” usando as oito impressoras e o cortador a laser da Galeria Olido (no centro) para produzir EPI para profissionais de saúde da UTI.

Impressora 3D usada em centros gerenciados pela cidade.

Imagem: Divulgação / Câmara Municipal de São Paulo

Parabéns pela iniciativa. Fico feliz que o prefeito esteja aberto a sugestões e espero que a iniciativa seja um sucesso e que se expanda para outros centros. Se todas as impressoras estiverem funcionando, adicionando equipamentos de outros centros, a produção poderá ser multiplicada por quatro ou cinco.

A abertura pode ser organizada para alguns fabricantes, para evitar a superlotação. Se necessário, existem vários fabricantes organizados e prontos para ajudar.

O próximo passo é fazer nossos próprios respiradores. Já existem algumas iniciativas. Alguns até na cidade de São Paulo, mas como a maioria será aberta, também podemos usar projetos do exterior, como o respirador criado pelo MIT.

A importância desse tipo de iniciativa coordenada pelo governo (municipal, estadual ou federal) é que os equipamentos mais complexos, como o respirador, exigem o envolvimento de várias frentes diferentes (médicos, fabricantes, hospitais, indústria e certificadores), para garantir que o projeto atenda a todas as necessidades e seja seguro para o uso do paciente. Uma grande parte dos projetos que vi são simples demais para atender à necessidade atual.

Sairemos dessa crise maior e, com todos sabendo que alguém pode mudar o mundo ao seu redor para melhor, apenas entenda que todos podemos ser criadores.

SIGA A INCLINAÇÃO NAS REDES SOCIAIS

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *