Presidente libanês confirma que sabia sobre nitrato de amônio em grandes quantidades no porto de Beirute | Mundo

O presidente da Líbano, Michel Aoun, confirmado pelas redes sociais nesta quarta-feira (12) que foi relatado em julho de um depósito de grandes quantidades de nitrato de amônio no porto de Beirute. A substância é identificada como a causa de mega explosão que destruiu parte da capital libanesa e matou pelo menos 171 pessoas, segundo informações oficiais.

Aoun confirmou a informação um dia depois que a Reuters relatou. O governo libanês foi alertado sobre o risco de explosão devido ao nitrato de amônio. semanas antes. Um documento preparado pelos fiscais chegou às mãos do presidente e primeiro-ministro, Hassan Diab, que renunciou após o incidente.

Protestante pisa na foto do presidente libanês Michel Aoun durante o protesto de 8 de agosto após a mega explosão em Beirute – Foto: Hussein Malla / AP

De acordo com a mensagem, Aoun informou outros líderes como o Conselho de Ministros e o Conselho Supremo de Defesa em 20 de julho sobre o relatório que alertava sobre os riscos do nitrato de amônio no porto. Ainda de acordo com o presidente, a informação foi repassada a outras autoridades libanesas.

“A Presidência da República deseja zelar para que as investigações judiciais sejam conduzidas na medida do possível de acordo com a legislação aplicável, valendo-se da experiência necessária para esclarecer a verdade absoluta sobre a explosão, suas circunstâncias e seus responsáveis, em todos os níveis ”, completa a nota.

nitrato de amônio – Foto: Jornal Nacional / Reprodução

A causa suspeita é um Explosão de 2.700 toneladas de nitrato de amônio, substância usada como fertilizante. São conhecidos os riscos de armazenamento inadequado desse material, segundo especialista ouvido pelo G1. O produto já foi responsável por tragédias na França, China e Estados Unidos.

O nitrato de amônio não é um explosivo por si só.. Apresenta-se como um pó branco ou grânulos solúveis em água e é seguro desde que não aqueça nem entre em contacto com faíscas. Após 210 ° C, ele se decompõe e, se a temperatura ultrapassar 290 ° C, a reação pode se tornar extremamente explosiva.

Explosão de Beirute: simulação de laboratório mostra como o nitrato de amônio explode

A explosão no porto causou destruição generalizada e janelas quebradas a quilômetros de distância. Alguns navios que navegavam perto da costa libanesa foram até balançados pela força da explosão. As explosões foram ouvidas em Larnaca, Chipre, a pouco mais de 200 quilômetros da costa libanesa.

A força da explosão foi tão grande que o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS) indicou que a intensidade foi de um terremoto de magnitude 3,3. O incidente abriu uma cratera de 43 metros profundidade.

Mostra passo a passo os detalhes da explosão em Beirute, no Líbano, ocorrida nesta terça-feira (4) – Foto: Guilherme Luiz Pinheiro / G1

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado Castilho

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *