Quem se saiu melhor na Black Friday? – Tempos de dinheiro

Segundo dados da Cielo, as vendas totais no varejo caíram 14,5%, impulsionadas pela queda nas vendas no varejo físico (Imagem: Divulgação / Revista Luiza)

UMA Sexta-feira preta este ano foi atípico em muitos aspectos. Primeiro, porque não havia os tradicionais distúrbios nas lojas físicas devido ao coronavírus.

Além disso, as promoções generalizaram-se durante o mês de novembro. Portanto, é preciso olhar atentamente os números, alerta o XP no relatório.

Com base nos dados do setor, as vendas no varejo online da Black Friday aumentaram 25% em comparação com 2019.

O número pode parecer pequeno a princípio, já que eram esperados números de três dígitos. Mas para a corretora é preciso lembrar que as promoções foram realizadas ao longo do mês de novembro.

“Portanto, não vemos um crescimento de 25% a 30% tão fraco e acreditamos que as vendas de novembro serão um indicador melhor para entender o desempenho da Black Friday deste ano”, afirmam os analistas Marcos Nardini e Danniela Eiger .

Varejo físico mais fraco

De acordo com Céu, as vendas totais no varejo caíram 14,5%, impulsionadas pela queda nas vendas físicas do varejo, valores mais baixos esperados, justamente por conta das restrições impostas pelo coronavírus.

“Mais uma vez, acreditamos que olhar apenas para as vendas de sexta-feira pode ser tendencioso, pois acreditamos que os consumidores anteciparam suas compras durante novembro”, observou o casal.

Lojas Luiza
De acordo com Magalu, as vendas online cresceram em média três dígitos (entre 130% e 150%) em novembro (Imagem; Divulgação)

Formulários

Insira o número de downloads do aplicativo, Lojas Luiza (MLGU3), Forma de varejo (VVAR3) e B2W (BTOW3) se destacou, com a B2W superando seus pares ao analisar o número de visitantes únicos no período.

“No entanto, também analisamos o desempenho acumulado em novembro para ambas as métricas e em relação a 2019, a fim de tentar tirar o efeito da Black Friday mais espaçada do mês. Nesta nova análise, observamos que Casas Bahía e Magalu registraram forte crescimento no número de visitantes únicos acumulados em novembro (60% e 50% respectivamente), enquanto apenas Casas Bahía registrou um aumento nos downloads de aplicativos ”, indicaram.

Quem ganhou, afinal?

Embora a Black Friday tenha sido diferente, as marcas são bem conhecidas. Magazine Luiza e Via Varejo voltaram a figurar entre as maiores taxas de crescimento de vendas.

Segundo Magalu, as vendas online cresceram em média três dígitos (entre 130% e 150%) em novembro.

A Via Varejo teve um aumento de 99% nas vendas online entre os dias 22 e 28 de novembro, com o mercado acima de 125%, gerando um ganho de market share de 4,2 pontos percentuais.

“Acreditamos que todas as empresas tenham se beneficiado em parte com o evento, mas Via Varejo e Magalu se destacam. Continuamos preferindo a Via Varejo no setor, pois esperamos que a dinâmica de resultados continue positiva devido ao sólido resultado combinado ”, argumentaram.

Veja a recomendação XP para empresas do setor:

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *