Quino, cartunista argentino que criou Mafalda, morre aos 88 anos | Arte pop

Quino, cartunista argentino conhecido por criar os quadrinhos da Mafalda, morreu aos 88 anos, confirmou o editor Daniel Divinsky no Twitter.

“Quino morreu. Todas as boas pessoas do país e do mundo ficarão de luto por ele”, escreveu ele. A causa da morte não foi revelada oficialmente. Segundo a imprensa argentina, o artista sofreu um derrame nos últimos dias.

  • Veja as consequências da morte de Quino

O cartunista argentino Joaquín Salvador Lavado, também conhecido como Quino, durante entrevista coletiva em Buenos Aires, Argentina, em maio de 2014 – Foto: Eduardo Di Baia / AP / Arquivo

Joaquín Salvador Lavado foi o criador das histórias em quadrinhos mais traduzidas para o espanhol. Ele nasceu em 1932, em Mendoza, Argentina, onde voltou a morar em 2017, após o falecimento de sua esposa, Alicia Colombo.

Seu nome sempre está associado ao de seu personagem mais famoso, que completou 56 anos nesta segunda-feira (29). A interrogadora de seis anos, fã dos Beatles, ficou famosa por sua preocupação com o combate aos problemas sociais e a sopa no jantar.

Ícone do quadrinho, Mafalda completa 55 anos

Quino criou Mafalda no seu primeiro emprego como designer de publicidade, em 1962. A rapariga seria a personagem de uma peça publicitária rejeitada pelos jornais da época.

O autor retomou o personagem em 1964. A primeira história em quadrinhos foi publicada em 29 de setembro daquele ano. A partir daí, as histórias, agora sem objetivo publicitário, acabaram aparecendo em jornais de todo o mundo. Posteriormente, os livros da Mafalda foram traduzidos para mais de 30 idiomas.

Mafalda, de Quino ocupa lugar de destaque na exposição do Espaço Cultural Renato Russo – Foto: Reprodução / Quino

O personagem também se tornou protagonista de um filme, produzido na Argentina e lançado em 1982.

Além da menininha, as tirinhas também fizeram famosos como Manolito, Susanita, Guille, Filipe e Libertad.

Em 1973, após quase 2.000 histórias em quadrinhos, Quino decidiu que deixaria de desenhar a Mafalda.

O cartunista Joaquín Salvador Lavado, também conhecido como Quino, posa ao lado de uma escultura de sua personagem Mafalda, em Oviedo, na Espanha. Foto de outubro de 2014 – Foto: Miguel Riopa / AFP / Arquivo

Em entrevista concedida em 2014, quando questionado se o personagem manteria seu olhar crítico sobre o mundo tantos anos depois, Quino disse que sim. “E há ainda mais discussões. Se você vê os jornais, não precisa nem perguntar por quê.”

Depois de deixar o cargo, Quino continuou a criar histórias com um tom político, muitas vezes sobre opressão e desigualdade social, para jornais de vários países.

VÍDEOS: personalidades que morreram em 2020

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *