Red Bull sai do DTM após comprar ADAC

A Red Bull optou por não entrar com uma equipe no DTM na próxima temporada depois que o ADAC assumiu o campeonato, o título irmão do Motorsport.com, Motorsport-Total.com, pode revelar.

A decisão foi tomada na sede da Red Bull na Áustria para encerrar seu programa DTM em 2023, encerrando o envolvimento da gigante das bebidas energéticas como proprietária da equipe após apenas duas temporadas.

A Red Bull já havia dado luz verde aos planos de continuar no DTM, o que eles teriam visto AF Córsega Digite dois exemplos do novo Ferrari 296 GT3 em 2023.

Mas o DTM acabou experimentando uma mudança surpresa de propriedade durante o inverno com Gerhard Berger. venda de direitos promocionais ao clube automobilístico alemão ADACo que causou uma mudança de opinião na Red Bull.

A decisão de cancelar o projeto não é uma surpresa completa, já que Berger, que foi fundamental para trazer a Red Bull de volta ao DTM em 2021, não terá nenhum papel na gestão do DTM a partir do próximo ano.

Berger teve um longo relacionamento com a Red Bull por várias décadas e foi de fato o primeiro atleta patrocinado pela marca em 1989. Ele também foi co-proprietário do que era então conhecido como a equipe Toro Rosso de Fórmula 1 entre 2006 e 2008. .

O austríaco até sugeriu em uma entrevista recente que sua saída da propriedade e gestão do DTM poderia significar o fim da incursão da Red Bull no DTM.

“A Red Bull é muito ligada a mim como pessoa através da associação de quase quarenta anos”, disse Berger. “Então pode ser o caso. Essa decisão agora cabe à Red Bull.”

Nick Cassidy, AF Corse Ferrari 488 GT3 Evo

Foto por: Alexandre Trienitz

A saída da Red Bull significa que a AF Corse também não continuará no DTM no próximo ano, já que o projeto foi financiado pela fabricante de bebidas energéticas, que também fornecia os pilotos.

Ambos Nick Cassidy Y Felipe Fraga Também é improvável que ele retorne ao DTM para uma segunda temporada.

Cassidy já tem um contrato firme com a Envision na Fórmula E e também está vinculado a uma unidade de enduro de Bathurst com o poder da Supercars Triple Eight Race Engineering. Um retorno ao Campeonato Mundial de Endurance da FIA nas fileiras do GTE AM com a mesma equipe AF Corse também não pode ser descartado.

“Eu adoraria correr no DTM se fosse possível”, disse o Kiwi à emissora ran.de. “Eu me diverti muito lá e ganhei um pouco de força. Mas não acho que seja possível no ano que vem.”

Já Fraga voltará à Stock Car brasileira com a equipe Blue Stock com o objetivo de somar o título conquistado em 2016.

Fraga esperava conseguir uma vaga no IMSA WeatherTech SportsCar Championship e até fez testes para a equipe Meyer Shank Racing, vencedora do título, nos últimos meses, mas a vaga no Acura ARX-06 da equipe junto com tom blomqvist finalmente foi para Colin Braun.

Leia também:

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *