Referência da música pernambucana, o diretor Guedes Peixoto morre aos 89 anos

Foto: Reproduo / YouTube

O diretor e compositor pernambucano Guedes Peixoto morreu neste domingo (15), vítima de um infarto. Aos 89 anos, o artista lidava com diabetes avançado. Um dos mais renomados diretores e compositores de frevo do estado, Guedes regeu a Orquestra Sinfônica do Recife, encarregou-se da formação de diversos músicos, além de animar outros maestros como Edson Rodrigues e Spok. O funeral foi realizado esta tarde no Cemitério de Santo Amaro.

Natural de Goiana, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, Mário Guedes Peixoto é referência em música estadual. Iniciou a carreira artística ainda criança ao tocar trombone, a familiaridade com o instrumento levou-o a ingressar na banda Saboeira, centenária em sua cidade. Continuou seus estudos no Conservatório Pernambucano de Música, em Recife.

Foi responsável por várias orquestras em Pernambuco e embarcou na música erudita até assumir a direção da Orquestra Sinfônica do Recife entre 1975 e 1984, a convite do então Secretário da Cultura do Recife, Ariano Suassuna.

Ao longo de sua carreira, compôs diversas canções e frevos de rua, como Reforma agraria e Frevo da saudade y frevioca, além de peças clássicas influenciadas por ritmos nordestinos, como Maracatu para piano e Ciranda para orquestra. Paralelamente, formou-se em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco. Nesse período, exerceu, por muitos anos, na Ordem dos Músicos do Brasil – Seção Pernambuco, as funções de Conselheiro e Presidente.

Afastado dos palcos há mais de cinco anos, no ano passado o diretor foi homenageado pela Orquestra Sinfônica do Recife. Sua primeira gravação, o frevo Barbosa Filho en Frevo, completa 60 anos este ano. Naquela época, a música era gravada pelo selo Mocambo (do selo Rozenblit).

Em nota, o presidente da Fundação Cultural Cidade de Recife lamentou a morte do artista. “Perdemos um grande diretor. Outro coração de frevo que cala. Celebramos sua enorme contribuição à nossa cultura e a força de cada uma de suas composições, que continuarão a pulsar na imaginação das ruas e nos ajudarão a entender e celebrar quem somos ”, disse ele. A Secretaria de Cultura do Recife, a Secretaria de Estado da Cultura (Secult-PE) e a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) também manifestaram suas condolências ao diretor por meio de comunicados.

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci Shinoda

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *