Regragui e Marrocos ‘deixam África orgulhosa’

Os primeiros semifinalistas da África no principal torneio da FIFA reagiram amplamente contra o atual campeão Didier Deschamps, embora tenham perdido por 2 a 0 no Al Bayt Stadium.

Theo Hernández e Randal Kolo Muani fizeram a diferença na preparação da França para a final contra a Argentina de Lionel Messi na segunda-feira (AEDT).

Regragui refletiu sobre uma campanha histórica não apenas para Marrocos, mas para todo o continente, depois de derrotar Bélgica, Espanha e Portugal a caminho de ficar atrás nas semifinais.

“Percebemos que já fizemos uma grande conquista, sabemos que a mídia nos apoiou e pela televisão vimos o orgulho de todos”, disse.

“Estamos desapontados, queríamos manter vivo o sonho do povo marroquino. Vamos ter que digerir esta derrota. Estamos satisfeitos com o que conseguimos, mas sentimos que poderíamos ter ido mais longe.

“Pequenos detalhes ajudam os verdadeiros campeões a vencer. Vimos isso contra a França, eles tiveram muitos substitutos para fazer a diferença.

“Eu disse aos jogadores que estou orgulhoso deles, todo o Marrocos está orgulhoso deles e o mundo também. Trabalhamos muito, jogamos um futebol honesto e é isso que queríamos fazer.”

“Demos uma boa imagem de Marrocos e de África, representando o nosso país e o nosso continente. Chegamos o mais longe que pudemos na competição e isso é ótimo, mas teremos que fazer ainda melhor no futuro.

“Temos que fazer isso regularmente se quisermos estar no mapa do futebol. Podemos não ser tão bons quanto Espanha, Brasil ou Inglaterra, mas queremos nos classificar para todas as competições”.

“Portanto, será normal que o Marrocos esteja presente. Mostramos aos africanos que somos capazes de enfrentar os melhores.”

Nayef Aguerd, Roman Saiss e Noussair Mazraoui estavam em dúvida antes do confronto das semifinais, mas foram inicialmente convocados para o XI titular do Marrocos.

Aguerd não apareceu, Saiss desistiu antes do intervalo e Mazraoui foi substituído ao intervalo, com Regragui a admitir que as lesões afetaram os Leões do Atlas.

“Em uma Copa do Mundo, isso foi um passo longe demais, não por causa da qualidade ou tática, mas fisicamente ficamos aquém”, acrescentou.

“Tínhamos muitos jogadores com 60-70 por cento, mas mesmo assim chegaram às meias-finais. Os meus jogadores deram uma imagem muito boa da nossa equipa e mostrámos a nossa qualidade”.

“Queríamos reescrever os livros de história, mas você não pode vencer a Copa do Mundo por milagres, você precisa trabalhar duro e é isso que vamos continuar fazendo.”

Quanto à disputa do terceiro lugar contra a Croácia no sábado, Regragui prometeu que o Marrocos vai lutar mais uma vez, embora possa oferecer chances para quem não apareceu com tanta frequência no Catar.

“Será um desafio mentalmente. Estamos nas últimas mãos, temos muitos jogadores lesionados, mas queremos vencer o jogo”, continuou o treinador principal.

“Mas também quero dar aos jogadores do elenco uma chance de mostrar o que podem fazer. Esses jogadores deram uma grande contribuição, mas não tiveram muito tempo de jogo.”

“Depois de uma derrota como esta, é sempre difícil fazer planos para o futuro. Teremos algum tempo para recuperar e depois vamos tentar deixar o nosso país orgulhoso e conquistar o terceiro lugar.”

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *