Relembrando as aventuras brasileiras de parapente de Roy Keane e amigos

Manchester United no Brasil.

Roy Keane e parapente não são palavras que você colocaria juntas. mas como um de seus ex-companheiros de equipe revelou, mesmo o Corkman é parcial para um pouco de atividade aérea de vez em quando.

em sua autobiografia avanço rápidoAndy Cole relembra a controversa viagem do Manchester United ao Brasil para o Mundial de Clubes da FIFA de 2000, poucos meses depois que os Red Devils completaram sua histórica Tríplice.

Por insistência da FA, os homens de Ferguson embarcaram em um avião para o Brasil em janeiro para participar do experimento experimental precursor do Mundial de Clubes, para grande desgosto de muitas pessoas em casa, que sentiram que estavam desvalorizando a FA Cup por não defender seu troféu.

Tudo acabou sendo um desastre, já que o United terminou em terceiro em seu grupo, mas nada disso importará para um grupo de jogadores que ficaram felizes por terem desfrutado de algumas semanas ao sol, no meio da temporada doméstica.

A aventura de parapente de Roy Keane.

No entanto, há apenas um limite para sentar à beira da piscina, então um dia uma equipe formada por Cole, Keane, Nicky Butt e Ryan Giggs decidiu dar um passeio, com o objetivo de obter uma vista aérea do Rio de Janeiro. .

No entanto, assim que chegaram ao topo da montanha, o intrépido quarteto decidiu tentar algo que certamente deixaria seu empresário furioso se descobrisse: eles iriam de parapente.

São três deles, pois Cole muda de ideia de última hora, como ele explica em seu livro:

“Espere, que data é?” Eu pergunto. “É sexta-feira”, diz Giggsy. “Não o dia, a data.” “Ah, são 13.”

“Agora, eu não sou o homem mais supersticioso lá fora, mas estou fora de lá. De jeito nenhum eu vou pular de uma montanha e flutuar ao vento na sexta-feira 13. ‘Até mais tarde.’

Andy Cole se lembra da viagem de parapente de Roy Keane.

O atacante voltou para a piscina onde o resto do United estava relaxando, incluindo Ferguson.

“A coisa a saber aqui é que atividades como parapente são desaprovadas por clubes de futebol como o Manchester United, mesmo que estejam sujeitas a instrutores como deveriam ser”, escreve Cole.

“Gerentes e contratos tendem a desviar seus ativos multimilionários desses esportes radicais.

“Eu sento à beira da piscina novamente e não demora muito para que você possa ouvir gritos vindos de cima.

“’Ei, filhos da puta!’ Todos olhamos ao nosso redor antes de olhar para cima. — Lá embaixo, idiotas! No topo do hotel, três figuras parecidas com pássaros, esvoaçando, gritando seus insultos. ‘Que bando de idiotas.’

“Enquanto os meninos parecem confusos, tento não rir. O gaffer senta em sua espreguiçadeira e diz ‘Quem diabos são esses idiotas?’ Eu balanço minha cabeça, tentando reprimir até mesmo um sorriso.

“’Devem ser alguns turistas que não gostam do United, chefe’, digo. ‘Idiotas'”.

Man United em turnê.

Cole continua descrevendo como os três homens voadores mais tarde lhe deram um bastão para se aposentar, mas pode-se argumentar que Roy Keane, o gerente, teria admirado o senso de responsabilidade do atacante.

Todos esses anos depois, Cole está de volta em uma extensa turnê com o United em seu papel de embaixador do clube, enquanto os homens de Erik ten Hag se preparam para a nova temporada na Tailândia e na Austrália.

Dada sua própria experiência passada, talvez o jogador de 50 anos fique de olho nos céus durante o tempo de inatividade da equipe.

Extrato retirado de avanço rápido por Andy Cole, escrito com Leo Moynihan. Publicado pela primeira vez em 2020.

Leia mais sobre: ​​Alex Ferguson, Andy Cole, Manchester United, Nicky Butt, Roy Keane, Ryan Giggs

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.