Residente fecha a lacuna entre cliente suspeito e comércio digital

Quebrada Tech

Rogério Gonzaga mantém associações com alguns dos principais mercados do mercado (ficha pessoal)

Rogério Gonzaga, morador de Taboão da Serra (SP), está criando um novo formato de marketing digital para atender os moradores de La Quebrada que ainda não têm muita afinidade com o comércio on-line.

Por Tamires Rodrigues

Rogério Gonzaga, morador de Taboão da Serra, tem muitas profissões. Ele trabalha como fotógrafo, coordenador cultural, fabricante de móveis, dono de bar e uma de suas descobertas mais recentes foi a prática do marketing digital. O que todas essas profissões têm em comum é o fato de Gonzaga realizá-las em seu barranco.

Embora ele soubesse de suas dificuldades em lidar com meios tecnológicos, Gonzaga decidiu estudar para aprender técnicas de vendas on-line. Dessa forma, conseguiu usar estruturas de lojas virtuais para facilitar e aproximar o processo de compra e venda de diferentes produtos da vida cotidiana para os moradores das periferias.

“Comecei a pesquisar como ganhar dinheiro em casa e descobri que tinha a chance de ser um promotor de afiliados on-line da Magazine Luiza e entrei para isso”, diz Gonzaga. Ele relata que o início foi muito difícil de obter resultados de vendas. “Eu basicamente passei um ano sem vender nada, pensei que estava postando lá e as pessoas veriam, se interessariam e quereriam comprar”.

Gonzaga estuda marketing digital através de e-books e cursos na plataforma Hotmart. O marketing digital ainda é novo para ele e apresenta várias dificuldades em aprender os idiomas e os jargões usados ​​nas aulas do curso. “Para mim, o marketing digital é o começo, estou aprendendo, ainda não sei muito, mas sei que existem muitas possibilidades e sei que posso ir muito além”, diz ele.

Hoje, Gonzaga anuncia produtos de lojas parceiras por meio de links compartilhados em suas próprias redes sociais, como Facebook, Instagram y WhatsApp.

Ele diz que suas dificuldades com a tecnologia da informação fazem com que ele tenha um processo de aprendizado mais lento, principalmente para acompanhar os vídeos das aulas. “Há coisas que não são tão óbvias para mim, quando o cara explica que ele tem que fazer isso aqui e ele vai lá, caramba, eu me perdi”, diz Gonzaga.

Atualmente, Gonzaga trabalha em parceria com a Magazine Luiza, Lojas Americanas, entre outras lojas online. Além disso, vende seus próprios produtos para outros mercados, como ELO7 e E-Bairro, onde vende móveis de paletes. Uma dessas iniciativas, o E-Bairro, visa apenas a venda de produtos e serviços de profissionais das periferias da região sul de São Paulo, com foco em artistas e empreendedores.

Para entregar algo diferente, Gonzaga vai além da promoção do produto. O empresário atua como uma espécie de mecanismo de busca e comparador dos melhores preços e prazos de entrega, com o objetivo de garantir as melhores opções para o cliente e uma melhor experiência de vendas. “Pesquiso não apenas o melhor preço, mas também o melhor prazo de entrega, o que é mais fácil de atender às pessoas”, diz ele.

200 graus / Pixabay

Desconfiança nas compras online como uma oportunidade

Gonzaga acredita que o principal pilar para esse processo acontecer é construir uma relação de confiança com seus clientes. Ele testemunha que muitos clientes que telefonam para ele têm uma cultura de desconfiança ao fazer compras on-line; portanto, ele adotou um processo de experiência de compra diferente e mais humano. Dessa maneira, você escuta todas as dificuldades do seu cliente e tenta resolver e, é claro, tudo digitalmente.

O mercado on-line é o alvo de uma série de golpes cibernéticos, como o “vendedor falso” que cria uma loja falsa, vende para clientes legítimos, mas nunca envia o produto. Gonzaga diz que recebeu muitos relatórios de seus clientes sobre insegurança em compras digitais. “As pessoas ainda têm medo. ‘Ah, eu pagarei e não receberei.'” Este negócio é uma farsa. “As pessoas são deixadas para trás, o que é legítimo e eu também entendo”, diz ele.

Uma de suas clientes é Aline Santos, mais conhecida pelo nome artístico de Dandara. A moradora de Embu das Artes, em São Paulo, conta que conheceu Gonzaga para realizar trabalhos culturais na região e foi por isso que achou que era seguro fazer compras com ele.

“Ele pesquisou o preço mais baixo e a tarifa mais baixa, enviou links do que encontrou para eu aprovar. Quando eu aprovei, ele fez a compra e me enviou a passagem, depois me enviou quando o produto saiu para entrega. Ele acompanha o produto e se chegou e como chegou “, diz Santos.

Ele comprou um fogão elétrico, uma cafeteira e uma estante de livros e diz que, além do serviço de compras on-line, Gonzaga ofereceu seus serviços para montar móveis. “No caso da estante de livros que ainda estava sendo montada, eles simplesmente não a montaram porque quando ela chegou já tinha, porque eu não tenho muito o que esperar”

Gonzaga diz que nessa quarentena devido à epidemia de coronavírus, suas vendas aumentaram, principalmente com produtos nacionais. “Houve uma boa demanda. As pessoas perguntam e perguntam. De repente, isso se deve ao fato de as lojas estarem fechadas. As pessoas querem comprar, mas não sabem onde. Então eu digo que você tem a opção de comprar on-line e receber em casa “.

Hoje, o empresário usa mídia digital apenas para complementar sua renda. Ele enfatiza que, em seu trabalho, busca liberdade e flexibilidade para fazer o que gosta e, com o conhecimento necessário, acredita que pode ser uma possibilidade para muitos moradores da Quebrada. “E por que isso não é uma profissão do futuro? Você pode trabalhar em casa, fazer sua agenda e depois fazer o que quiser, ir ao teatro, ir à noite, ir ao futebol”.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *