Revisão: Deserto Privado – Cineuropa

– VENEZA 2021: Este novo filme do diretor brasileiro Aly Muritiba conta a história de um amor impossível em uma interpretação machista e homofóbica do Brasil

Antonio Saboia e Pedro Fasanaro em deserto privado

Viajamos do sul ao norte do Brasil, dois espaços geográficos e emocionais muito diferentes, em deserto privado [+see also:
trailer
interview: Aly Muritiba
film profile
]
o novo longa-metragem do diretor brasileiro Ali Muritiba que foi exibido em estreia mundial na 18ªaGiornate degli Autori evento em Veneza. Este drama sentimental disfarçado de road movie vê seu protagonista descobrindo um lado indescritível de si mesmo e consegue prender a atenção dos espectadores através de uma saudável dose de suspense.

(O artigo continua abaixo – Informações Comerciais)

Sara, uma mulher que conhecemos em uma sala de bate-papo, mas nunca conhecemos pessoalmente, pois ela mora do outro lado do país, está sempre no centro do Daniel’s (Anthony Savoy) pensamentos. Mas nosso homem, um policial suspenso da ativa por agredir um novo recruta, tem muito, muito mais em mente: o julgamento que o espera, por exemplo (que até virou notícia), e a ajuda de que precisa. para seu pai doente, um ex-soldado que não fala mais e que agora precisa de cuidados 24 horas. A primeira metade do filme acompanha Daniel em sua vida cotidiana cinzenta, enquanto ele procura trabalhos braçais, como servir como segurança em uma boate e lidar com sua irmã, que quer mudar o pai para uma casa de repouso. . e que, fundamentalmente, ele se apaixonou por uma mulher, para desaprovação de seu irmão.

A única pessoa que consegue fazer Daniel sorrir é Sara, com quem troca mensagens e fotos no celular. Um dia, porém, a mulher de repente para de atender o telefone e desaparece. Daniel decide entrar no carro e segue para o norte, deixando tudo, inclusive o pai, e percorrendo três mil quilômetros na esperança de encontrá-la. E é aqui que o diretor parece querer começar seu filme, rolando os créditos de abertura cerca de meia hora depois do início do filme. Uma vez em seu destino, Daniel cobre a pequena cidade onde Sara mora com pôsteres com sua foto, esperando que alguém a reconheça e diga onde ela está. Um homem, de fato, liga para ele e diz onde está a mulher, mas ele não diz muito mais.

No meio do filme, o ponto de vista muda, em todos os sentidos. Vemos quem Sara realmente é e mergulhamos em sua vida diária e dupla. Enquanto isso, Daniel rastreou sua amante por telefone e pede para conhecê-la com insistência crescente. Sara não pode mais evitar o inevitável.

deserto privado é a história de um encontro inesperado que questiona as certezas de um homem, causando decepção, raiva e, finalmente, agressão, antes de gradualmente ajudá-lo a se reconectar consigo mesmo e com suas emoções. É a história de um feitiço quebrado, uma relação impossível que vê duas almas suspensas entre o amor e o ódio, mas é também um encontro entre dois mundos diferentes: o sul frio e conservador do Brasil e o norte mais ensolarado e progressista. Tudo isso abordado com muita delicadeza e reforçado com atuações intensas (Pedro Fasanaro estrela ao lado de Antonio Sabola), resultando em um filme bem equilibrado que questiona o conceito de liberdade pessoal e o peso das gaiolas que construímos em nossas próprias mentes.

deserto privado é uma produção da Grafo Audiovisual brasileira, em co-produção com a portuguesa Fado Filmes. As vendas internacionais estão nas mãos da Intramovies.

(O artigo continua abaixo – Informações Comerciais)

(Traduzido do italiano)

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.