Saúde declara estado de transmissão comunitária do coronavírus

JBr.

O Ministério da Saúde declarou o estado de transmissão comunitária do novo coronavírus em todo o Brasil. A ação tem como objetivo unificar ações entre os estados e tornar as medidas de contenção secretas de 19 países mais restritivas, como limitar a circulação de pessoas com mais de 60 anos. A Portaria, publicada em uma edição adicional do Diário Oficial da União, também garante a possibilidade de um atestado médico para a família de pessoas com sintomas de gripe, independentemente da idade.

Os estados que já registraram transmissão comunitária, também conhecidos como sustentados, são Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina, Pernambuco, Rio Grande do Sul e São Paulo. Esse tipo de propagação é caracterizado quando não é mais possível identificar a fonte de contaminação de uma pessoa naquela cidade. Mesmo assim, o governo decidiu estender a medida a todas as entidades da federação.

De acordo com o texto, as pessoas com sintomas de gripe serão tratadas como a covid-19, mesmo antes do exame. Os sintomas considerados são tosse seca, dor de garganta ou dificuldade em respirar, acompanhada ou não de febre.

“Para conter a transmissibilidade da covid-19, o isolamento domiciliar da pessoa com sintomas respiratórios e das pessoas que residem na mesma direção deve ser adotado como medida não farmacológica, mesmo se assintomática, e deve permanecer isolado por um período de tempo. máximo de 14 (catorze) dias “, diz o texto.

Os familiares do paciente com suspeita de covid-19 não precisarão ir pessoalmente à unidade de saúde, mas será necessário apresentar uma declaração com a lista de pessoas que residem no mesmo endereço.

Para os idosos, as recomendações são mais expressas em relação ao isolamento social. Como fazem parte do grupo de risco, que exige mais hospitalizações, a iniciativa tenta evitar a superlotação nos hospitais, se houver muitas infecções simultâneas.

“Pessoas com mais de 60 (sessenta) anos devem observar a distância social, restringindo suas viagens a realizar atividades estritamente necessárias, evitando o transporte para uso coletivo, viagens e eventos esportivos, artísticos, culturais, científicos, comerciais e religiosos e outros com uma concentração estreita de pessoas “, afirma o documento.

Segundo o Ministério da Saúde, a decisão de expandir a classificação observa “o comportamento do vírus” e permite a “adoção de medidas padronizadas”.

Ontem, o ministro Luiz Henrique Mandetta expressou sua preocupação com a transmissão da comunidade. Ele disse que o crescimento da covid-19 no Brasil ocorreu em todo o país, em bloco, o que pode dificultar ainda mais o monitoramento e controle da doença. Nesta sexta-feira, o número de mortes pelo novo coronavírus atingiu 904 e o número de mortes aumentou para 11.

“Exceto na região amazônica, região norte, todas as outras regiões estão fazendo aumentos sistemáticos em massa. O que poderia estar em uma região parece-me estar aumentando em bloco em todos os estados. Parece que algo está chegando em relação a um cenário muito mais nacional do que regional “, disse Mandetta na noite de quinta-feira.

O ministro lembrou que na China, o país com o maior número de casos até agora, a epidemia estava concentrada na cidade de Wuhan, marco zero do novo coronavírus. Outras cidades chinesas, segundo ele, não tiveram surtos epidêmicos como os que começaram a ocorrer no Brasil.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *