Scania entrega o primeiro caminhão de mineração a gás do Brasil para as minas de ferro da Gerdau Steel em Itabirito

Postado por Paul Moore em 18 de dezembro de 2020

O grupo siderúrgico brasileiro Gerdau começou a usar o que diz ser o primeiro caminhão de mineração a gás da história do Brasil. O caminhão Scania vai trabalhar nas operações da siderúrgica na mina de minério de ferro Várzea do Lopes, localizada em Itabirito (MG), e operada pela empreiteira Fagundes Construção e Mineração SA, com apoio da Scania WLM Itaipu.

O primeiro caminhão a gás do Brasil é um modelo Scania G 410 6 × 4. Os motoristas da Fagundes receberão treinamento específico para a operação do equipamento, que transportará minério de ferro e resíduos. A Gerdau diz que vem trabalhando, em parceria com sua cadeia de fornecedores, para construir um futuro mais sustentável, a partir do desenvolvimento de produtos e soluções inovadoras.

“Por aproximadamente 120 anos, trabalhamos para conectar as pessoas que constroem um futuro mais colaborativo e sustentável. A parceria com a Scania, com a solução de caminhão a gás natural, é um exemplo de ação relevante. Além dos aspectos econômicos e ambientais, valorizamos a estruturação de uma cadeia produtiva e de abastecimento local, que se traduza em desenvolvimento socioeconômico sustentável ”, explica Vinicius Fernandes de Moura, Gerente Geral de Suprimentos da Gerdau. A empresa diz 100% de dependência do diesel não é mais ambientalmente correto. Para a Scania, no Brasil o caminho viável é ‘Aqui e Agora’ ou ‘Aqui e agora’ devido ao potencial de redução do consumo e das emissões de CO2 em relação ao diesel, utilizando gás natural (GNV), gás natural liquefeito (GNL ) e / ou biometano.

“A Scania liderou a transição para um sistema de transporte mais sustentável. O caminhão de gás foi um sucesso na estrada. Agora vamos inovar novamente no mercado off-road. Uma ação também inédita mundialmente para a marca. Portanto, o Gerdau é o primeiro caminhão a gás da história da mineração no Brasil e no mundo para a Scania. Temos certeza de que os resultados vão surpreender e marcar tendências ”, afirma Silvio Munhoz, Diretor de Vendas da Scania Solutions no Brasil. “Na área de sustentabilidade é importante dar o primeiro passo e assumir compromissos para reduzir as emissões. Parabéns à Gerdau por acreditar que é possível tornar a operação logística na mineração mais sustentável ”, completa. O caminhão a gasolina começou a ser vendido em outubro de 2019. Em maio de 2020, as entregas começaram. Desde então, a Scania já vendeu mais de 60 unidades para diversos setores, desde cosméticos até alimentos. A G 410 6 × 4, neste caso, usa uma carroceria de caminhão com capacidade de 16 metros cúbicos para transportar minas.

O fornecimento de gás natural veicular (GNV), de responsabilidade da Logas, será dentro da própria operação na forma de uma estação compacta que está sendo construída pela siderúrgica de acordo com as normas legais e de segurança de armazenamento , consumo e uso de gás. O tempo de preenchimento é curto, cerca de 15 minutos, o que não compromete a disponibilidade do caminhão no trabalho diário, que é intenso, pois funcionará 24 horas por dia, sete dias por semana. A expectativa é que haja um consumo de 10 metros cúbicos / hora, o que nesta operação significa uma faixa entre 250 e 300 km.

“Acompanharemos cada detalhe dessa ação pioneira com total apoio da Scania WLM Itaipu. Queremos oferecer benefícios significativos para o meio ambiente e o menor custo operacional para o cliente. O modelo usará o Programa de Manutenção Flexível Scania Premium, o mais completo da marca no país e adaptado às características da operação de mineração, que diferem da modalidade rodoviária. A Gerdau e a Fagundes também monitorarão o desempenho com base nos dados obtidos por meio da conectividade e aplicarão melhorias quando necessário ”, explica Fabricio Vieira, Gerente de Vendas da Scania Mining Solutions no Brasil.

Os caminhões pesados ​​Scania movidos a GNV, GNL e / ou biometano possuem motores de ciclo Otto (o mesmo conceito dos carros) e são 100% movidos a qualquer mistura de combustíveis. “Eles não são convertidos de diesel para gás, têm garantia de fábrica, tecnologia confiável e segura, são mais silenciosos, com desempenho constante e resistência semelhante a um caminhão a diesel. A segurança é total em caso de acidente ou explosão ”. Os cilindros robustos utilizam os mesmos graus de aço dos mísseis e as válvulas são certificadas pelo Inmetro de acordo com as legislações nacionais. São três válvulas (vazão, pressão e temperatura) que liberam o gás em caso de anomalia em algum desses três parâmetros.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *