Schurter iguala recorde histórico de vitórias no MTB no Brasil

Alan Hatherly mostrou sua intenção para o ano ao vencer o evento de pista curta no sábado. (Foto: Red Bull Content Group)

  • A primeira Copa do Mundo UCI do Brasil desde 2005 foi um evento memorável. Com um sprint para a linha.
  • Apesar das fortes inundações em fevereiro, a região de Petrópolis ofereceu algumas corridas de mountain bike de XCO notáveis.
  • Foi um bom fim de semana para a África do Sul, com Alan Hatherly vencendo a corrida de pista curta.

A animada torcida brasileira e a exótica pista na selva criaram uma primeira rodada memorável da série UCI XCO World Cup desta temporada.

Como os melhores ciclistas de sprint do mundo não tinham experiência anterior na pista de Petrópolis, o incrível ambiente de selva estava aberto a novas estratégias de corrida, relacionadas a táticas de molhado e hidratação.

Embora a pista de Petrópolis não tivesse raízes abundantes ou jardins de pedras naturais, os pilotos tinham muitos outros problemas a vencer. A densa selva brasileira, as condições molhadas e as excelentes características técnicas criaram uma pista desafiadora.

As grandes quedas e saltos recompensavam os mountain bikers tecnicamente habilidosos e puniam aqueles que desconfiavam do Brasil.

bicicleta de montanha feminina

A corrida feminina contou com uma pista levemente escorregadia, no início do dia, sob a copa da selva. Rebecca McConnell dominou. (Foto: Red Bull Content Pool/Bartek Wolinski)

Vitórias para SA e OZ

A corrida feminina foi a primeira vitória da australiana Rebecca McConnell na Copa do Mundo da UCI. A favorita da corrida e atual medalhista de ouro olímpica, a suíça Jolanda Neff, não participou devido a doença.

O piloto de XCO mais bem classificado na África do Sul, Alan Hatherley, pode ter perdido o Cape Epic, mas mostrou grande forma em Petrópolis. Ele venceu a corrida de pista curta no sábado, que traz uma valiosa alocação de pontos.

Como companheiro de equipe do superstar brasileiro do mountain bike e do Henrique Avancini, projetista de estradas de PetrópolisHatherly estava entre o grupo líder de homens desde o início da corrida de sete voltas.

A pressão sobre Avancini era imensa. Ele trabalhou incansavelmente para garantir que o local fosse restaurado a um nível que pudesse sediar um evento da Copa do Mundo da UCI, depois que Petrópolis sofreu uma trágica inundação em fevereiro.

capa épica 2022

Henrique Avancini sonhava há anos com uma Copa do Mundo no Brasil e construiu o campo de Petrópolis. (Foto: Red Bull Content Group)

Do Cape Epic – para a selva

Avancini queria restaurar as expectativas depois de terminar em quarto lugar no evento de pista curta no sábado, como o favorito do público local. Múltiplo Campeão do Mundo e Campeão do MundoNino Schurter assumiu a liderança na segunda volta e estabeleceu o ritmo.

Depois de decepcionante experiência Cape Epiconde sofreu vários furos, Schurter estava determinado a mostrar por que ele é considerado o melhor mountain biker de XCO de sua geração.

bicicleta de montanha

A pista de Petrópolis tinha muitas características técnicas. E Alan Hatherly, da KZN, teve coragem para conquistar todos eles. (Foto: Red Bull Content Group)

A estratégia de Schurter incluía ter uma vantagem sul-africana

Apesar de ser considerado um dos pilotos mais técnicos, Schurter evitou o principal rochedo de Petrópolis nas primeiras voltas da prova, optando pela linha B, para evitar qualquer risco de pneu.

Hatherly assumiu a liderança na terceira volta, mas passou para o francês Maxime Marotte na quarta volta. A luz do sol foi filtrada pela floresta durante a corrida masculina, secando a pista, mas também elevando a temperatura e a umidade.

Nino Schurter

Vlad Dascalu terminou em terceiro e se adaptou bem à pista molhada. (Grupo de Conteúdo Red Bull/Bartek Wolinski)

Não é um grande dia para o herói do Brasil

A meio da quarta volta, os primeiros começaram a correr para os retardatários e Marotte acelerou o ritmo, especialmente nas descidas mais fluidas da pista. Schurter retomou brevemente a liderança antes do romeno Vlad Dascalu passar para a liderança na quinta volta.

O destino não estava a favor do melhor piloto do Brasil. Absorvendo a energia da torcida brasileira frenética, Avancini não deixou nada na pista de Petrópolis. Mas não ia ser. Apesar de estar adaptado à umidade local e possuir profundo conhecimento da pista, Avancini terminou com um decepcionante 13ºa.

O clima da selva também parecia drenar a energia de Hatherly, que desvaneceu nas duas últimas voltas, mas ainda terminou em nono lugar. Foi um excelente fim-de-semana para o jovem sul-africano e o seu estatuto de piloto de elite está agora completo.

Copa do Mundo de BTT

Para a Suíça, foi um primeiro passeio muito feliz, na selva brasileira. (Grupo de Conteúdo Red Bull/Bartek Wolinski)

O mais próximo possível do fim de uma corrida

Apesar do melhor esforço de Marotte, Schurter fez uma volta final magistral, batendo seus rivais mais jovens na linha de chegada. Marotte terminou em segundo e Dascalu em terceiro. A margem entre o primeiro e o segundo lugar foi inferior a um segundo.

A vitória de Schurter também igualou o recorde histórico de vitórias do francês Julien Absalon (33), algo que o ciclista suíço esperava há três anos para alcançar, tornando a vitória emocionante. Suas lágrimas no pódio eram a prova disso.

Após uma campanha frustrante no Cape Epic, a vitória de Schurter no Brasil reforça sua reputação como o melhor mountain biker de XCO.

A série da Copa do Mundo da UCI agora segue para a Europa, com a segunda rodada marcada para 6 de maio, em Albstadt, na Alemanha.

Resultados:

1º. Nino Schurter: 1:26:52

2º. Máximo Marotte: + 0

3º. Vlad Dascalu: +3

4º. Sebastian Fini Carstensen: +55

5 ª. Felipe Colombo: +56

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.