Sem saber inspecionar, São Paulo proíbe passageiros de aplicar sem máscara

Sem saber inspecionar, São Paulo proíbe passageiros de aplicar sem máscara

Como você verifica se motoristas de aplicativos, passageiros e táxis estão usando máscaras de prevenção de coronavírus? Essa é uma pergunta que ninguém sabia responder em 30 de abril, quando o governo do estado e a cidade de São Paulo confirmaram que o uso de máscaras seria obrigatório.

Após dez dias de Decreto nº 59.384, a capital de São Paulo, através da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transporte (SMT), reforçou a obrigação em uma nota. Mas eles foram além: passageiros desmascarados “devem ser evitados por taxistas e motoristas de aplicativos”, afirmou a agência. Inclinação.

Apesar da regra, sua aplicação não parece punitiva com multas, pelo menos é o que implica a comunicação oficial.

“A inspeção, com equipamentos do Departamento de Transporte Público (DTP), concentra-se na conscientização sobre a importância do uso da máscara e o principal objetivo de salvar vidas”, diz o texto do SMT.

Em carta enviada ao prefeito Bruno Covas (PSDB) em 7 de maio do ano passado, solicitando a isenção da categoria do novo rodízio de cidades, a Amasp (Associação de Motoristas de Aplicativos de São Paulo) afirma que os motoristas estão “agindo com toda a atenção recomendada pela prefeitura “, incluindo o uso de máscaras.

Segundo Eduardo Lima de Souza, presidente da associação, as medidas são seguidas mesmo sem “qualquer relatório que a Prefeitura tenha inspecionado quem está usando máscaras ou não”.

“Passageiros sem máscaras estão sendo rejeitados”, diz Souza. “É claro que existem motoristas que assumem riscos, mas a maioria está tomando precauções.”

Na avaliação de Rosan Coimbra, presidente da Comissão de Direito do Trânsito da OAB-SP, a aplicação de multas na inspeção deste decreto é difícil, pois as multas estão associadas a chapas, não a indivíduos.

No caso de motoristas de aplicativos ou taxistas registrados, existe a possibilidade de alguma punição. Multas de passageiros, por outro lado, não são viáveis.

É o mesmo com essa super rotação. Só será possível apresentar um agente. Sabemos que 90% das multas de rotação são pagas com equipamentos eletrônicos. A Câmara Municipal não tem como calibrar o equipamento. Essa inspeção acaba se concentrando em corredores como as principais avenidas leste-oeste.
Rosan Coimbra, Presidente da Comissão de Direito do Trânsito OAB-SP

Ações de aplicativo

Segundo o presidente da Amasp, muitos motoristas ainda não receberam máscaras de aplicativos. Souza menciona um programa de descontos para motoristas que compram máscaras e álcool em gel, uma iniciativa da Uber.

Procurado, o Cabify disse que estava comunicando aos motoristas e passageiros a necessidade de usar a máscara, além de enviar recomendações de higiene e proteção contra o coronavírus.

A empresa trabalha em uma função para o motorista ou passageiro notificar a empresa se alguém no carro não estiver usando máscara. Outra ferramenta futura identificará se o motorista possui os materiais de proteção. Tanto o motorista quanto o passageiro podem rejeitar as corridas “gratuitamente”.

Cabify também disse que na quarta-feira (13) iniciou um programa global para distribuir kits com álcool gel, máscaras reutilizáveis ​​e um filme isolante entre o motorista e o passageiro. O último “será instalado inicialmente em carros de motoristas que atendam a certos pré-requisitos” e em regiões com o maior volume de solicitações de viagem.

99 também pretende orientar o “uso fundamental” das máscaras, com direito a um vídeo que explica como motoristas e passageiros podem produzir eles mesmos o equipamento. A empresa também informou que começou a distribuir mais de 550.000 unidades para os motoristas brasileiros.

A empresa também revelou uma parceria com a Prefeitura para transportar mulheres que deram à luz em maternidades públicas da capital São Paulo e nas casas de parto de Sapopemba e Jardim Ângela. O programa dura até o final de maio.

Uber redesign app

Em um evento global na quarta-feira, o Uber revelou novas políticas e mudanças em sua aplicação. O “novo” aplicativo chegará na próxima segunda-feira (18).

Mais importante ainda, o registro fotográfico do motorista verificará se você está usando uma máscara ou proteção facial. Somente com proteção a corrida pode começar. Há também uma lista de confirmações para trabalhar:

  • Foto com máscara;
  • Confirmação de que você não tem sintomas de covid-19;
  • Confirmação de que o veículo foi limpo naquele dia; e
  • Confirmação de que o motorista lava as mãos com frequência.

Para o passageiro, o aplicativo solicitará que ele siga ordens do governo, como:

  • Não use o aplicativo se você tiver covid-19 ou sintomas relacionados;
  • Use uma máscara ou proteção facial;
  • Lave as mãos antes da corrida;
  • É obrigatório sentar no banco de trás; e
  • Abra a janela, se possível.

Motoristas e passageiros poderão rejeitar as corridas gratuitamente, alertando a empresa de que o outro estava sem máscara. O aplicativo pode excluir um motorista ou passageiro da plataforma se não respeitar as regras.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *