Sete em cada dez crianças e adolescentes infectados pelo Covid-19 são assintomáticos, diz pesquisa da Câmara Municipal de SP | São Paulo

A segunda fase do inquérito sorológico em crianças e adolescentes, realizado pela Prefeitura de São Paulo, mostra que quase 70% das crianças infectadas pelo coronavírus são assintomáticas, ou seja, sete em cada dez crianças com teste positivo não apresentaram nenhum sintoma da doença.

O mapeamento foi realizado com seis mil crianças e adolescentes de 4 a 14 anos da rede municipal de ensino.

  • 69,5% das crianças e adolescentes avaliados são assintomáticos.
  • a prevalência aumentou de 16,1% para 18,3%
  • a maioria dos infectados faz parte da população negra / parda

“Tivemos um aumento na prevalência de crianças que tiveram contato e produziram o anticorpo do vírus aqui na cidade. Tivemos um aumento na prevalência em todas as faixas etárias. Outro dado importante é que a proporção de crianças assintomáticas é de 69, 5%, o dobro de municípios que apresentaram sintomas ”, afirmou o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido.

O estudo também aponta para um aumento na prevalência de Covid-19 de 16,1% para 18,3% entre a primeira e a segunda fase da investigação. Isso significa que passou de 108.823 alunos com o vírus coronavírus para 123.624.

Questionado se o aumento da prevalência significa que o vírus está avançando entre crianças e adolescentes, o prefeito Bruno Covas (PSDB) disse que se trata de um levantamento estatístico.

“Só a terceira fase, só a terceira pesquisa feita com crianças vai confirmar se é um aumento, se ficaremos com 19 ou 20%, ou o mesmo valor. Ainda é cedo para dizer que é um aumento da prevalência na cidade de São Paulo ”.

Levantamento sorológico mostra que 18,3% das crianças que moram na cidade de SP já tiveram contato com o coronavírus – Foto: SP Prefeitura

Pesquisas mostram ainda que a cor é um fator importante nos casos de contaminação por coronavírus e a população negra e parda é a mais contaminada pela doença também entre crianças e adolescentes. O vírus está presente em 20% da população negra / parda e em 16,1% da população branca.

“Ainda existe uma prevalência em crianças negras e pardas de cor e raça, onde temos 20%, mas sem diferença significativa em relação à cor branca e raça”, disse a secretária municipal de Saúde.

“Encontramos também, nesta fase, indivíduos com rendimentos das classes D e E superiores aos da classe C. Não houve aumento significativo em relação à fase anterior”, acrescentou.

coleta entre 18 e 20 de agosto

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *