Suspeita de estuprar uma menina de 10 anos, ela se entregou a Betim para se proteger

O homem de 33 anos suspeito de estuprar e engravidar sua sobrinha de 10 anos em São Mateus, no Espírito Santo, foi preso em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, na madrugada desta terça-feira (18).

A equipe de reportagem em O TEMPO concluiu que o próprio suspeito teria negociado a rendição, desde que tivesse recebido proteção policial para retornar em segurança ao estado.

Em vídeo que circulou nas redes sociais, RH de J., que já tem passagem pela polícia por tráfico de drogas e foi preso entre 2011 e 2018, diz que estaria em Betim, onde a polícia o esperava.

Nas imagens, o suspeito pede que os fatos sejam apurados e que sejam investigados o avô da menina e outro tio. Finalmente, ele diz que “espera que tudo dê certo”.

De acordo com a Polícia Civil do Espírito Santo, as equipes que realizaram a prisão do suspeito são transferidas para o Estado, e será realizada entrevista coletiva para dar mais detalhes.

A informação da prisão foi confirmada na madrugada por meio das redes sociais pelo governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB).
“Que sirva de lição para quem insiste em cometer um crime brutal, cruel e inaceitável dessa natureza”, disse o governador da publicação. Ainda de acordo com o chefe do Executivo capixaba, a Polícia Civil capixaba vai divulgar mais detalhes sobre a prisão ao longo do dia.

Ou caso
A gravidez da menina veio à tona no dia 8 de agosto, quando foi atendida em um hospital da cidade de São Mateus, com queixa de dores abdominais. Após a realização de exames clínicos, os médicos verificaram a gravidez da menina.

A Justiça emitiu um mandado de prisão preventiva contra seu tio de 33 anos na última quarta-feira (12), mas ele está fugindo desde então. A menina disse à polícia que havia sofrido abusos desde os 6 anos de idade.

O debate sobre se o tribunal deve ou não autorizar o aborto tem se intensificado nas redes sociais nos últimos dias. Diante das repercussões, o Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo (TJES) afirmou que a decisão será técnica, com base na legislação e “sem influências religiosas, filosóficas e morais”.

“Todas as hipóteses constitucionais e legais no melhor interesse da criança serão consideradas por este Tribunal no momento da resolução da reclamação, convém referir que este órgão é estritamente regido pelo estrito e técnico cumprimento da legislação em vigor, sem influências religiosas, filosóficas. moral. , ou de qualquer outro tipo que não seja a aplicação das normas pertinentes ao caso ”, disse o tribunal, em nota.

A menina teve seu pedido de aborto negado pelo Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam), vinculado à Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). O principal obstáculo seria o avanço da gravidez. As informações iniciais mostraram que a menina estava grávida de três meses. No entanto, foi confirmado que ela estava com 22 semanas de gravidez, mais de cinco meses. O hospital informou não possuir protocolo para realização do procedimento.

Na decisão judicial que permitiu a interrupção da gravidez, o desembargador Antônio Moreira Fernandes, do Vara da Infância e da Juventude da cidade de São Mateus, no Espírito Santo, entendeu que aborto em casos de gravidez por estupro, risco de morte , é legítimo. gravidez e anencefalia fetal.

Em seguida, a menina viajou para Recife, em Pernambuco, onde havia protocolos para interromper a gravidez. A menina foi internada no último domingo (16) e foi submetida ao procedimento nesta segunda-feira (17).

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *