Teclado mágico: como foi usar o teclado “profissional” no iPad Pro

Blog Entre Linhas

Revelação

Com o lançamento do iPadOS 13.4 no final de março, a Apple trouxe suporte total ao mouse e trackpad ao sistema. O uso desses dispositivos, que antes era possível como um recurso de acessibilidade, agora é apenas outra maneira de interagir com o iPad, algo que agradou muitos usuários de tablets.

Além de incluir esse recurso no software, a empresa também lançou o novo Magic Keyboard para iPad Pro, que vem com um trackpad, transformando o iPad em algo mais parecido com um laptop “tradicional”.

Uso o novo teclado mágico com meu iPad Pro de 11 polegadas (modelo 2018) há pouco mais de uma semana. A primeira coisa que o surpreende quando você o tira da caixa é o peso. Com 600 gramas, o Magic Keyboard é mais pesado que o próprio iPad. Os dois juntos pesam cerca de 1 kg.

Em particular, não é algo que me incomode no uso normal do acessório. Comparado à minha principal ferramenta de trabalho, um MacBook Pro de 16 polegadas, o iPad com Magic Trackpad parece bastante leve e a portabilidade entre os dois é incomparável.

Algo que contribui com esse peso é a percepção de que o produto é bem feito. É muito sólido e pode suportar o iPad muito bem em seu mecanismo, que é feito inteiramente de ímãs. Enquanto o magnetismo faz um ótimo trabalho em manter o iPad firmemente no berço, removê-lo não exige força – basta puxá-lo com cuidado por baixo (ele “flutua” no berço) e ele sai facilmente.

Falando no mecanismo: talvez seja uma das partes mais interessantes do acessório. Aproximadamente 3/4 da parte traseira do iPad está em contato direto com o suporte, enquanto a parte inferior “flutua” sobre a primeira coluna do teclado. É impossível olhar de lado e não se lembrar do “lâmpada” antiga do iMac.

Embora visualmente a impressão seja frágil, na prática isso não acontece. É possível tocar em todas as partes da tela do iPad enquanto estiver no acessório sem inclinar ou mover o aparelho. Usando o Apple Pencil na tela em inclinação máxima, você pode ver movimentos leves, mas nada que atrapalhe o seu uso.

Usar o iPad com o Magic Keyboard no seu colo requer um pouco de adaptação. A distribuição de peso é bem diferente da de um laptop comum, já que todos os laptops têm o maior peso na parte inferior, enquanto no iPad Pro com Magic Keyboard o peso está concentrado na parte superior, na parte inferior. tela.

Usando o aparelho no colo, recomendo manter as palmas das mãos apoiadas no teclado para evitar possíveis acidentes. Nesse cenário, você pode notar um leve movimento na tela enquanto digita no teclado, ainda não o suficiente para dificultar o uso.

O teclado em si foi feito com o mesmo mecanismo de “tesoura” que o novo MacBooks Pro, muito mais confiável que o antigo mecanismo de “borboleta”, criando muitas dores de cabeça para seus usuários. A sensação que sinto quando escrevo é quase idêntica à que sinto quando escrevo no MacBook Pro de 16 polegadas. As teclas parecem um pouco mais firmes e silenciosas, mas isso pode ser porque ele ainda é muito jovem.

Para aqueles que pretendem usá-lo no iPad de 11 polegadas como eu e estão acostumados a digitar em teclados maiores, também é necessária alguma adaptação, pois é um pouco menor, mas em algumas horas de uso eu já o fiz escrito. no Mac

Os usuários de Mac estão acostumados com trackpads gigantes, o que não é o caso do novo teclado mágico. O trackpad no meu MacBook Pro parece ser cerca de 4 vezes maior que o iPad. Apesar dessa redução de tamanho, não tive problemas para usá-lo com eficiência no iPadOS; afinal, a tela inteira também é um touchpad, o que torna o touchpad um mecanismo de interação secundário na maioria das vezes.

Além de todos esses recursos, o acessório também possui uma porta USB-C que pode ser usada para carregar o iPad Pro durante o uso. Além de ser esteticamente melhor (carregar o iPad com a porta “flutuante”, afinal, isso seria inconveniente), isso permite que o iPad seja conectado à energia enquanto usa sua porta USB-C principal para alguns acessórios.

Se eu desse uma classificação de 0 a 10 para o acessório, atribuiria um 9. Para chegar a 10, faltava uma tecla ESC, que modo pode ser emulado com ⌘. – e algumas teclas de função para facilitar tarefas como alterar o brilho da tela, controlar o volume, entre outras. Além disso, o alto preço do acessório também faz você perder alguns pontos.

No Brasil, começa em R $ 2.339,10 em dinheiro para o modelo de 11 polegadas. É definitivamente um acessório que vale apenas para quem usa muito o iPad. É compatível com o iPad Pro de terceira e quarta geração de 12 polegadas e o iPad Pro de primeira e segunda geração de 11 polegadas.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.