Thaisa diz frustrada com o fechamento da Super Liga Feminina de Vôlei

JBr.

A bicampeã olímpica Thaisa disse estar “frustrada” com o fechamento da Superliga Feminina de Vôlei devido à nova pandemia de coronavírus. O centro do Minas Tennis Club concorda com a decisão da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), mas destaca os esforços da equipe ao longo da temporada.

“É triste. Nos sentimos um pouco frustrados depois de tudo o que construímos ao longo do campeonato. Tínhamos um ponto de diferença em primeiro lugar, tudo estava equilibrado. Sabemos que parar é necessário para a saúde e o país, mas é frustrante por tudo o que fizemos até agora. Agora, vamos pensar no que nos espera e tomar o melhor cuidado possível para vencer esse vírus “, diz Thaisa em entrevista ao Estado.

As Super Ligas para Homens e Mulheres decidiram em direções opostas. Enquanto a competição por mulheres termina, a competição por homens só foi adiada. Apesar da decisão, Thaisa acredita que o retorno da temporada é “improvável”. “Quanto tempo durará o intervalo? Porque, à medida que os casos secretos de 19 anos avançam, acho que essa “pausa” será muito longa. Eu acho que é difícil eles jogarem antes de fechar os contratos para a temporada atual, mas vamos ver o que vai acontecer ”.

Em quarentena devido à pandemia, o jogador continua sua rotina de treinamento em casa. Ela diz que assistiu a vídeos de treinamento básico de alta intensidade para manter o ritmo fora da quadra. “Faço o possível para não parar completamente”, disse ele.

“Não podemos relaxar. Continuo focado em treinamento e alimentação. Se pelo menos eu pudesse me exercitar e fazer crossfit, poderia deixar a comida um pouco mais livre, mas sem poder fazer muito, também preciso priorizá-la ”, acrescentou o jogador.

CLASSIFICAÇÃO DOS ATLETAS: Uma das maiores controvérsias entre as jogadoras da Super Liga terminou na última quinta-feira. Após uma reunião de videoconferência, os clubes votaram para finalizar o ranking dos atletas para a temporada 2020/2021. Para os homens, essa decisão foi aprovada pela CBV em 2018.

“É um sentimento de felicidade depois de tanto tempo lutando por esse direito e por igualdade. Estamos brigando por isso há algum tempo. Por isso, é extremamente feliz saber que nossos esforços foram recompensados ​​e que podemos jogar em um time que pode nos pagar, que queremos jogar ”, afirmou Thaisa.

A central enfatiza a importância de não limitar o mercado para jogadores de sete pontos. “Agora não somos forçados a ir para outro país devido ao egoísmo de outros clubes que não podem nem pensam em contratar um atleta de sete pontos, mas votam a favor do ranking em benefício próprio. Eles nunca pensaram no atleta. Hoje temos o direito de escolher. Isso é ter o direito de trabalhar. É gratificante e maravilhoso “, concluiu.

Status do conteúdo

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.