Thaisa está de volta em forma com a Itambé Minas

Belo Horizonte, Brasil, 12 de fevereiro de 2020 – Muitos dos que viram Thaisa Menezes cair na quadra devido a uma grave lesão no joelho durante uma partida da CEV Champions League em abril de 2017 não teriam acreditado que a central poderia voltar à forma. que a viu ajudar o Brasil a ganhar medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 e Londres 2012.

Até mesmo um médico que avaliou seu joelho tinha palavras desanimadoras sobre o futuro de sua carreira, mas nenhum deles convenceu Thaisa de que ela estava farta do vôlei. A brasileira voltou à Justiça em 2018, mas é a sua forma atual que lhe dá todas as respostas de que precisava.

Jogando na Superliga Brasileira pelo Itambé Minas, a zagueira de 32 anos tem sido uma das jogadoras mais impressionantes de todo o campeonato, liderando o ranking de eficiência individual em rebatidas, saques e bloqueios.

“Foi extremamente difícil e desafiador voltar”, refletiu. “Foram vários momentos de lágrimas, perguntas e dor. Foi difícil e ainda é, mas nunca desisti. Não dei ouvidos a quem dizia que nunca mais tocaria, ou que se o fizesse nunca teria o mesmo nível. As pessoas diziam que eu perderia a mobilidade e me tornaria um jogador lento e isso doía, mas também era motivação. Chorei muito, mas decidi que faria isso sozinha e, sinceramente, às vezes nem sei de onde veio toda a força que tive naquela época ”.

Desde a lesão, Thaisa tem se cuidado melhor. Ela credita sua intensa preparação fora de temporada e pré-temporada por seu impressionante desempenho em quadra na temporada brasileira de 2019-2020.

“A pré-temporada foi a diferença”, disse ele. “Cuidei muito bem da minha condição física e comi o melhor que pude. Eu malhei todos os dias, fiz CrossFit e nunca perdi o foco, mesmo nas férias. Trabalhei duro o tempo todo e quando você faz isso, compensa na quadra. “

Thaisa voltou recentemente para Itambé Minas e disputou o Mundial de Clubes Femininos do ano passado com a equipe.

A grande forma de Thaisa coincide também com a volta ao Minas Tênis Clube, clube com o qual iniciou sua carreira profissional em 2002. A veterana voltou a Belo Horizonte como uma das jogadoras mais consagradas da história do vôlei brasileiro, tendo vencido , além de duas medalhas olímpicas de ouro, cinco títulos no Grand Prix Mundial e medalhas de prata e bronze no Mundial. Mas ela não havia esquecido suas raízes.

“Voltar aqui foi muito bom e muito fácil de ajustar”, acrescentou. “Eu amo a cidade e as pessoas, então realmente não poderia dar errado. Sinto-me amado e respeitado por todos no clube e é tudo o que você pode esperar. É engraçado que voltar me fez lembrar da vez que toquei aqui pela primeira vez. Eu estava começando minha carreira e tinha todos esses sonhos e objetivos, que pareciam tão distantes na época ”.

A atual forma da zagueira pode torná-la candidata a vestir outro uniforme conhecido em um futuro próximo, pela Seleção Brasileira. Depois de jogar pelo seu país entre 2007 e 2018, a veterana recusou uma chamada no ano passado porque queria se concentrar em sua carreira no clube.

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *