Thiago Silva diz que o Brasil gosta de rivais mais ofensivos e prevê “um jogo muito diferente” contra o Uruguai | Time brasileiro

A seleção brasileira de futebol masculino prefere enfrentar rivais mais ofensivos e, embora sofra poucos choques na defesa, encontra dificuldades para os atacantes. A avaliação é do zagueiro Thiago Silva, capitão na vitória por 1 a 0 sobre o Venezula, que espera um cenário bem diferente do visto no Morumbi, na última sexta-feira, no clássico contra o Uruguai, na terça-feira, em Montevidéu.

Thiago Silva apreciou a vitória sobre a Venezuela, que manteve o Brasil 100% correto e na liderança das eliminatórias, mas admitiu que devemos melhorar:

– Sempre preferimos times que tentam propor o jogo, não apenas times fechados. No caso de Venezula, era uma linha de quatro atrás, depois uma linha de cinco, muito difícil de romper, com Rondón na frente. É sempre difícil encontrar espaço, principalmente diante de uma equipe muito bem treinada para isso. Tivemos mais dificuldades na primeira parte do que na segunda, quando conseguimos quebrar um pouco, usamos e abusamos das cruzes, quando tínhamos mais espaço. Temos que continuar nessa linha, se está fechada por dentro para jogar fora, mas às vezes também temos que tentar quebrar a linha um pouco mais para ser um pouco mais agressivos. Valeu a pena o sacrifício, valeu a vitória, está funcionando para os próximos jogos, disse o jogador de 36 anos.

O Uruguai se embala com a vitória, fora de casa, sobre a Colômbia por 3 a 0 e, na opinião de Thiago Silva, deve sair à frente do Brasil.

– Principalmente porque o Uruguai joga em casa e vai querer propor um pouco mais o jogo, isso vai favorecer o nosso time, que gosta de jogar. Quando você tem mais espaço, fica um pouco mais fácil. Hoje (sexta-feira) tivemos dificuldades devido a uma equipe que esteve muito perto, muito bem treinada defensivamente. Ofensivamente eles não eram tão perigosos, mas defensivamente eles se saíram bem. Se tivéssemos marcado o gol no início, a previsão do jogo teria mudado. Mas na segunda parte voltámos um pouco melhor e conseguimos um resultado positivo. Terça-feira será um jogo muito diferente de hoje – comentou.

Veja também:
+ Análise: A ausência de Neymar não é a única justificativa para o fraco desempenho
+ Após Gabriel Menino testar positivo para Covid-19, Seleção realiza novos testes

Thiago Silva foi o capitão da Seleção Brasileira contra a Venezuela – Foto: Lucas Figueiredo / CBF

O jogador mais experiente da seleção canariana, Thiago Silva, também alertou para a qualidade do ataque azul-celeste, formado pela dupla Cavani e Suárez. O primeiro foi seu parceiro nas últimas temporadas no Paris Saint-Germain:

– O comportamento tem que ser o mesmo dos últimos jogos, para propor o jogo, mas cuidado com esses dois atacantes. Um deles (Cavani) Tive a oportunidade de jogar juntos sete anos, conheço-o muito bem, é um jogador que tem que estar 100% conectado com ele, porque a qualquer momento ele pode decidir. Hoje ele marcou um gol para a Colômbia por oportunismo, um pouco de habilidade, um pequeno gol. Conhecemos o Suárez, ocorreram algumas quedas na nossa carreira, é um jogador muito duro, que também tem uma qualidade técnica incrível. Vai ser um grande jogo, 50% para cada lado, mesmo jogando no Centenário vamos tentar propor o jogo um pouco mais.

+ CLIQUE AQUI e veja mais novidades da Seleção

Depois da vitória sobre a Venezuela, a seleção brasileira segue em São Paulo, onde treina até segunda-feira, quando segue para Montevidéu.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *