Togo alcança ‘grande feito’ ao erradicar quatro doenças tropicais negligenciadas | saúde geral

O Togo foi elogiado pela Organização Mundial de Saúde por se tornar o primeiro país do mundo a eliminar quatro doenças tropicais negligenciadas.

A OMS deu ao país da África Ocidental um prêmio de conquista excepcional esta semana por eliminar o verme da Guiné, a filariose linfática, a doença do sono e o tracoma em apenas 11 anos.

“O Togo alcançou um feito importante”, disse o Dr. Matshidiso Moeti, diretor regional da OMS para a África. “Esta conquista é um exemplo para o resto da África e mostra o que é possível quando a saúde é uma prioridade.”

O país eliminou o verme da Guiné em 2011, depois se tornou o primeiro país da África Subsaariana erradicar a filariose linfática em 2017 e a doença do sono em 2020. Este ano eliminou com sucesso o tracoma.

O presidente togolês, Faure Gnassingbé, disse: “A saúde é uma prioridade que colocamos no centro de nossas políticas de desenvolvimento”.

As doenças tropicais negligenciadas (DTNs) são um grupo de 20 condições evitáveis ​​e tratáveis ​​que muitas vezes são deixadas de fora dos orçamentos globais de saúde e das prioridades de financiamento.

Os esforços para controlar ou erradicar doenças se intensificaram em 2012, quando 100 países doadores, filantropos privados, empresas farmacêuticas, instituições de pesquisa e organizações da sociedade civil se uniram para apoiar a Declaração de Londres controlar ou eliminar 10 NTDs até 2020.

Desde 2012, 46 países eliminaram pelo menos um DTN e as empresas farmacêuticas doaram mais de 14 bilhões de tratamentos.

Três meses atrás, líderes mundiais reunidos na capital de Ruanda, Kigali, reafirmaram seus compromissos e concordaram em erradicar as DTNs até 2030.

Cerca de 1,7 bilhão de pessoas em todo o mundo ainda são afetadas por DTNs, que podem desfigurar e incapacitar, prendendo indivíduos e comunidades inteiras em ciclos de extrema pobreza.

Cerca de 40% das pessoas afetadas por DTN vivem na África. a número de pessoas a necessidade de tratamento para pelo menos uma doença no continente está diminuindo lentamente. Em 2015, 630 milhões de pessoas necessitaram de tratamento; em 2020, o número caiu para 598 milhões.

Thoko Elphick-Pooley, diretor da parceria global United to Fight Neglected Tropical Diseases, disse que o sucesso do Togo se deve ao “comprometimento da propriedade política do país”. “Espero que os líderes da África sejam inspirados pelas incríveis ações tomadas pelo Togo para transformar a saúde de seus cidadãos”, acrescentou.

No ano passado, a organização alertou que Cortes de ajuda do governo do Reino Unido pode ter um impacto devastador sobre o progresso no tratamento das DTN.

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.