Treinador brasileiro de vôlei sobre as chaves do sucesso: trabalho duro, competindo regularmente contra os melhores times

O treinador campeão brasileiro Zé Roberto. JUNHO NAVARRO/PESQUISADOR

SÃO PAOLO, BRASIL – O técnico do campeão brasileiro, Zé Roberto, posou animadamente para fotos enquanto a seleção feminina de vôlei das Filipinas o rodeava ao final de mais um intenso treino.

Roberto, que liderou triunfalmente o Brasil com três medalhas de ouro olímpicas, também revelou que nada está escondido em sua série de sucessos no cenário mundial de vôlei.

“Não há segredos (para o sucesso no vôlei mundial). É puramente sobre trabalho duro, horas de prática e repetição e jogar contra os melhores times do mundo regularmente”, disse Roberto.

O mentor brasileiro de vários títulos é o orgulhoso proprietário do Sportville, onde os atacantes nacionais suaram por quase duas semanas em um campo de treinamento projetado para prepará-los para uma medalha nos próximos 31º Jogos do Sudeste Asiático em Hanói, Vietnã.

“Ele passa muitas horas nas academias, aprendendo as habilidades fundamentais e competindo contra os melhores times, os melhores jogadores e os melhores treinadores do mundo. Essas coisas são importantes para chegar ao topo do ranking mundial”, disse Roberto.

O técnico do PH, Jorge Edson Souza de Brito, foi uma peça vital sob o comando de Roberto na equipe masculina brasileira, vencedora da medalha de ouro, durante os Jogos Olímpicos de Verão de 1992 em Barcelona, ​​​​Espanha.

Mas Roberto passou mais tempo no programa nacional de vôlei feminino do Brasil, levando para casa medalhas de ouro nas Olimpíadas de Pequim 2008 e nas Olimpíadas Londres 2012 e terminando com uma medalha de prata nas Olimpíadas de Tóquio 2021.

As celebridades do vôlei Alyssa Valdez, Aby Marano, Jaja Santiago, Jema Galanza, Mylene Paat, Ces Molina e Kat Tolentino posaram para a posteridade com Roberto, que ofereceu um tradicional churrasco brasileiro para o time.

Roberto também surpreendeu as meio-campistas Ria Meneses, Majoy Baron, Dell Palomata, líberos Dawn Macandili e Kath Arado, além das levantadoras Kyle Negrito e Iris Tolenada, com uma longa lista de conquistas da seleção feminina brasileira em cena.

A Federação Nacional de Voleibol das Filipinas, liderada por seu presidente Ramon “Tats” Suzara, trouxe a equipe feminina aqui para um acampamento de duas semanas com o apoio da Comissão de Esportes das Filipinas, do Comitê Olímpico das Filipinas, Rebisco, PLDT e da Cidade de Taguig.

Os treinadores Odjie Mamon, Grace Antigua, Raffy Mosuela, Tina Salak e a terapeuta Grace Gomez têm auxiliado De Brito em seu treinamento duas vezes por dia para a disputa pela medalha do país nos Jogos do SEA, de 12 a 23 de maio.

“Trabalhamos duro para nos tornarmos campeões olímpicos. É um processo contínuo de tentar melhorar e a necessidade de ter uma boa experiência contra os outros times”, disse Roberto, que voltou para casa da Turquia e da Itália na terça-feira depois de assistir às finais da Liga Turca de Voleibol e às semifinais da Liga Italiana. . .

O Brasil está atualmente em segundo lugar no mundo no vôlei feminino.

Os atacantes do PH retornarão a Manila depois de vencerem quatro de seus cinco amistosos contra seleções brasileiras, uma indicação encorajadora de sua preparação para uma medalha nos Jogos de Hanói, onde a atual campeã Tailândia e o anfitrião Vietnã são as equipes a serem observadas.

leia a seguir

Não perca as últimas notícias e informações.

inscrever-se para PERGUNTA MAIS para ter acesso ao The Philippine Daily Inquirer e mais de 70 outros títulos, compartilhe até 5 dispositivos, ouça as notícias, baixe a partir das 4 da manhã e compartilhe artigos nas redes sociais. Ligue 896 6000.

Para comentários, reclamações ou dúvidas, Entre em contato conosco.

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.