UE alerta que enriquecimento do Irã ameaçaria acordo nuclear – EURACTIV.com

A União Europeia alertou na segunda-feira (4 de janeiro) que a decisão do Irã de enriquecer urânio a 20% seria um “afastamento considerável” dos compromissos de Teerã sob o acordo nuclear de 2015.

O porta-voz da UE, Peter Stano, disse que Bruxelas esperaria até uma instrução do diretor da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), da ONU, mais tarde naquele dia, antes de decidir que ação tomar.

O Irã iniciou o processo de enriquecimento de urânio com pureza de 20% em sua instalação subterrânea de Fordow, informou a mídia estatal na segunda-feira, indo bem além do limite estabelecido pelo acordo nuclear de 2015.

É a suspensão mais recente e mais significativa dos compromissos nucleares do Irã sob o acordo histórico, que começou em 2019 e em resposta à retirada dramática do presidente Donald Trump do acordo em maio de 2018, quando os Estados Unidos impuseram sanções econômicas. paralisando Teerã.

“O processo de produção de urânio 20% enriquecido começou no complexo de enriquecimento de Shahid Alimohammadi (Fordow)”, disse o porta-voz do governo Ali Rabiei ao site da emissora estatal.

Segundo o responsável, o presidente Hassan Rouhani ordenou o enriquecimento “nos últimos dias” e “o processo de injecção de gás começou há horas”.

Em 31 de dezembro, o Irã informou à AIEA que começaria a produzir urânio enriquecido com pureza de 20%, o nível que tinha antes do acordo nuclear.

De acordo com o último relatório da AIEA disponível, publicado em novembro, Teerã estava anteriormente enriquecendo urânio a níveis acima do limite previsto no acordo de Viena de 2015 (3,67%), mas não excedendo o limite de 4,5%, e ainda assim, cumpriu com a fiscalização rigorosa da agência. regime.

Mas tem havido confusão desde o assassinato, no final de novembro, do físico nuclear iraniano Mohsen Fakhrizadeh.

Após o ataque, atribuído a Israel, os linha-duras de Teerã prometeram uma resposta e o parlamento dominado pelos conservadores aprovou um projeto de lei “para o levantamento das sanções e a proteção dos interesses do povo iraniano”.

UE pede moderação após o assassinato de um cientista nuclear iraniano

O porta-voz do chefe de relações exteriores da UE, Josep Borrell, exortou todas as partes no sábado (28 de novembro) a mostrarem moderação após o assassinato de um cientista nuclear iraniano e evitar uma escalada de tensões que poderia prejudicar qualquer conversa sobre o Programa nuclear do Irã.

O projeto também pedia a produção e armazenamento de “pelo menos 120 kg por ano de urânio enriquecido a 20%” e também obriga o governo a encerrar as inspeções da ONU nas instalações nucleares do Irã, se houver. As demais partes do acordo – Grã-Bretanha, China, França, Alemanha e Rússia – não facilitam as vendas de petróleo do Irã e garantem o retorno dos recursos

Aviso israelense

Antes de o projeto se tornar lei, Rouhani o considerou “prejudicial ao curso das atividades diplomáticas”.

Mas o Conselho dos Guardiões, que arbitra as disputas entre o parlamento e o governo, aprovou o projeto no mês passado.

Autoridades iranianas, incluindo o ministro das Relações Exteriores, Javad Zarif, disseram que o governo cumprirá a decisão do parlamento.

Citado pelo site do governo, Rabiei disse que a postura do governo em relação à lei é clara, “mas o governo se considera obrigado pela lei”.

O governo mostrou sua disposição de chegar a um acordo com o presidente eleito dos EUA, Joe Biden, depois de quatro anos tensos sob o governo de Trump, que impôs e endureceu sanções incapacitantes a Teerã depois de retirar os EUA do acordo nuclear.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, reagiu com raiva à notícia do enriquecimento.

“A decisão do Irã de continuar a violar seus compromissos, de elevar o nível de enriquecimento e promover a capacidade industrial de enriquecimento subterrâneo de urânio, não pode ser explicada de forma alguma, exceto como a realização contínua de sua intenção de desenvolver um programa nuclear militar”. Netanyahu disse em um comunicado na segunda-feira.

“Israel não permitirá que o Irã fabrique armas nucleares.”

Enquanto isso, na segunda-feira, a Guarda Revolucionária do Irã apreendeu um petroleiro de bandeira sul-coreana no Golfo, relataram a agência de notícias Fars e outra mídia local, dizendo que se tratava de “riscos ambientais”.

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *