Uma viagem ao Brasil com Rob Stone – RealAgriculture

Olhando ao redor do mundo, há uma coisa que realmente nos une, e isso é a agricultura.

Muitas vezes podemos aprender sobre novos métodos e tecnologias conversando com nossos colegas ao redor do mundo.

Rob Stone, um agricultor de Davidson, Saskatchewan, foi a São Paulo, Brasil, para ver algumas das tecnologias em que diferentes empresas estão trabalhando.

Stone nunca tinha estado no Brasil antes, então ele realmente não tinha nenhuma expectativa, além das florestas tropicais e da soja.

“Foi isso, mas também muito e muito gado, muita grama e topografia ondulada. Se eu tivesse que explicar, basicamente chamaria de Western Canada, exceto sem inverno. Você sabe, obviamente há árvores mais bonitas, todo esse tipo de coisa. Mas a paisagem varia. A agricultura varia de estado para estado. Quero dizer, é enorme, nós dirigimos muitos quilômetros para ir de um estado para outro”, explica ele. (A história continua abaixo do vídeo)

Quando esteve lá, Stone diz que havia fazendas de diferentes tamanhos, com um volume de negócios diversificado. Uma das fazendas que ele visitou, que é considerada uma grande fazenda para a área, tinha cerca de 100.000 hectares, ou seja, cerca de 247.000 acres).

No entanto, o que é realmente único é como a agricultura está integrada em suas comunidades locais.

“Eles têm suas próprias cidades, comunidades, ambulâncias, restaurantes, esse tipo de coisa que assume muitas das funções de um município local. Eles estão totalmente integrados com o que estão fazendo com o seu produto. Eles têm mão de obra, mecânicos, todas essas coisas”, explica. “Além de sua remessa. Eles estavam apenas passando por um processo de descobrir como possuir seus próprios caminhões. Acho que compraram 300 e estavam pensando em comprar mais 300 para mandar para os portos.”

Na América do Norte, quando pensamos na infraestrutura do Brasil, muitas vezes ouvimos falar da falta de boas estradas e afins, embora esteja em constante melhoria. Depois de muito tempo na estrada e na estrada, definitivamente há necessidade de melhorias, diz Stone.

“Não há infraestrutura ferroviária. E é um longo caminho até o porto”, diz ele. “Há buracos, certamente há algumas estradas não tão boas. Se você pegar as estradas com pedágio quando estiver viajando, é muito melhor.”

Depois de voltar para casa e ter algum tempo para refletir, Stone diz que uma de suas coisas importantes é o quão incrivelmente produtivo o Brasil é, apesar dos problemas que eles têm e bem.

“Eles têm seus ventos contrários ambientais, principalmente porque é uma área de floresta e todas as coisas que estão acontecendo junto com o desenvolvimento. Eles são como qualquer outra parte do mundo”, diz ele.

“A produtividade, eu acho que o aumento de produtividade que eles podem obter com a tecnologia, e colocando mais ênfase em tirar tudo do acre, aumentando seu cultivo duplo em áreas onde eles não estão fazendo isso e gerenciando seus cronogramas muito melhor. ”

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.