Você está em quarentena? Apague a luz e olhe para o céu!

Blog Física na Veia

Imagem incrível de “todo o céu” feita no ALMA (Matriz grande de milímetro / submilímetro de Atacama) Observatório localizado em San Pedro de Atacama, Antofagasta, Chile, E isso apareceu na APOD / NASA em 24/07/2014. (Cartão de crédito)

Desde meados de março de 2020, quando o isolamento social horizontal começou aqui no Brasil como uma medida cientificamente sólida para achatar a curva de poluição do novo coronavírus, tenho incentivado qualquer pessoa que possa observar o céu noturno. Eu até criei a hashtag #astroisolation para marcar minhas publicações aqui no blog e também nas redes sociais. Veja abaixo os links para minhas postagens de Física na Veia que abordam exatamente esse tópico que sugere observações astronômicas sem sair de casa.

Olhar para o céu nos acalma. E isso nos leva de volta às nossas origens cósmicas. Nada melhor para fazer em quarentena, em casa, no pátio ou pela janela e em total segurança.

Várias pessoas já retornaram relatórios positivos dizendo que, no meio da pandemia, eles seguiram minhas sugestões e começaram a observar o céu. Isso não tem preço! É motivador para esse velho professor e disseminador científico saber que mais alguns pares de olhos se voltaram para o céu para o meu conselho! É por essas e outras razões que a Física em Veia existe há 15 anos e está rapidamente chegando aos 16!

Hoje trago uma iniciativa na mesma linha. Ela vem de Observatório do Valongode UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro. Esse é o projeto “Astronomia pela janela”. Eu publico, então, o comunicado de imprensa do projeto em sua totalidade.

Eu percebi esse grande projeto da profa. A Dra. Tania Dominici, astrônoma de profissão, entusiasta da divulgação científica, amiga “virtual”, no sentido de ser alguém com quem nunca tive o prazer de um encontro pessoal, mas com quem compartilho boas idéias de astronomia por meio do redes sociais e que é fã há muito tempo. A meu convite, profa. Tania participou e apoia “We are Science”, manifestada pela Science criada por Will Ciência, ex-aluno, lançado oficialmente em 06/06/2020. Olha isto publicar, o primeiro vídeo no manifesto. Olhe para este publicarMais detalhes sobre o manifesto e o segundo vídeo com apenas mulheres cientistas e a participação da astrônoma Tania Dominici.

Mas vamos ao projeto Valongo!

As estrelas perderam o céu?

(comunicado oficial de imprensa do projeto)

Você já viu a Via Láctea? Você já viu uma noite tão estrelada que até teve dificuldade em contar o número de estrelas? Se você mora em cidades médias e grandes, sua resposta provavelmente é não. Faça uma experiência muito simples! Vá a algum lugar da sua casa que possa olhar para o céu. Conte quantas estrelas você pode ver. Em seguida, apague as luzes, aguarde alguns minutos para que sua visão se acostume ao escuro e olhe para o céu novamente. Você conseguiu ver mais estrelas? Por que a resposta é simples: a poluição luminosa é a conseqüência do uso inadequado e excessivo da luz artificial. As estrelas ainda estão lá e o que realmente mudou é a quantidade de luz artificial que a humanidade produz.

Hoje, os centros urbanos concentram edifícios que parecem infinitos e inúmeros anúncios; grandes indústrias; Até os subúrbios construíram muitos condomínios, e tudo isso significa mais luzes. Embora seja ótimo que as atividades diárias do homem não estejam mais no escuro, tudo isso cria sérios problemas nos ecossistemas, na observação astronômica e até na nossa saúde.

Então, em casa, você pode perguntar: mas há um uso errado da luz? Infelizmente, quase sempre, a resposta é sim. Existem muitas maneiras de usar a iluminação e, na maioria das vezes, as pessoas pensam em praticidade e / ou beleza. Vamos aos exemplos. Uma medida simples para a iluminação correta da rua seria colocar um “chapéu” em postes para direcionar a luz para baixo, mas é comum ver luminárias em edifícios comerciais e residenciais ou até mesmo em refletores de piso, o que significa direção incorreta de luz e luz. desperdício de energia. Esses e outros modelos de iluminação fazem com que o céu receba uma quantidade absurda de luz. Esse efeito diminui as estrelas e dificulta as observações astronômicas de amadores e profissionais.

Agora que você tem algum conhecimento sobre o assunto, que tal uma reflexão? O ano de 2020 chegou e trouxe mudanças tão surpreendentes que parece que estamos mais em um livro de ficção. A quarentena mostrou que, além de combater a propagação do COVID-19, surgiram outras conseqüências da diminuição das atividades humanas, como a diminuição da poluição do ar. Por outro lado, com a maioria da população em casa, aumenta o número de lâmpadas acesas, o que aumenta a poluição luminosa. O que você pode fazer para reduzir esse problema?
Você sempre pode começar em casa! Feche as cortinas nas janelas das salas iluminadas, impedindo que a luz saia. Se um vizinho já o incomodou enquanto tentava dormir, talvez até apreciassem. Evite deixar lâmpadas acesas em salas não utilizadas. Sugira uma mudança na iluminação na entrada do seu prédio ou rua e converse com as pessoas ao seu redor sobre isso. Imagine agora se todos apagassem as luzes por 15 a 30 minutos? O número de estrelas vistas nos céus da cidade seria muito maior. Todos poderiam aproveitar esse momento de isolamento para apreciar a beleza do céu noturno. Por que não iniciar esse movimento?

Então, vamos combinar algo muito bom: em 01/05, das 20 às 20:30, #DesligueAsLuzes.

Divulgue e colabore para um céu mais estrelado.
Daniel R. C. Mello (Astrônomo e Coordenador de Extensão no Observatório Valongo da UFRJ)
Equipe do programa de visitas públicas do Observatório Valongo
Projeto de astronomia pela janela.

Não posso dizer a data da memória. Mas foi lá no início dos anos 90. apagão de proporções muito grandes. Foi uma queda de energia que durou horas. Minha cidade e toda a região ficaram sem luz por um longo tempo. Era cedo à noite. E, felizmente, o céu estava muito claro.

Imagine uma região inteira, várias cidades, sem eletricidade! A primeira coisa que pensei quando notei que estávamos na total escuridão regional foi sair e olhar o céu iluminado como nunca antes! Foi, sem dúvida, a minha experiência de observação mais incrível a olho nu!

Costumo dizer que era um paraíso indiano. Não entendi? Era um céu que apenas quem mora lá no meio da floresta e longe das luzes ofuscantes das cidades tem o privilégio de ver! Eu vi E eu nunca vou esquecê-lo! Foi uma experiência notável, impressa para sempre em minha memória afetiva.

E assim eu ratifico: aproveite o isolamento social para olhar o céu! Siga a sugestão dos astrônomos do Valongo e apague as luzes! Não será um paraíso indiano, algo que apenas um apagão regional poderia proporcionar. Nem o céu incrível na imagem no topo do mastro, feito em Atacama, Chile, a 5100 m de altitude e em um local muito seco que torna o céu ainda mais brilhante. Mas certamente será uma experiência notável e diferente em sua vida!

Experimente

# Apague as luzes

#Olhe para o céu

Pratique o #AstroIsolation.

Fiz uma simulação do céu de hoje, das 7 da tarde (e a cada hora) até 1 da manhã do dia seguinte.

Comecei às 19:00 porque neste momento você ainda pode ver o planeta Vênus no horizonte ocidental, do mesmo lado em que o sol se põe. E fui até 1 da manhã de 2 de maio, porque agora, no leste, no lado onde o sol nasce, já teremos no horizonte os imperdíveis planetas Júpiter, Saturno e Marte.

Fiz isso no estilo “todo o céu” da imagem na parte superior do post, porque você terá um mapa do céu completo com um horizonte de 360 ​​graus. Observe os pontos cardeais na borda da circunferência do horizonte e a data e hora na parte inferior da imagem, no lado direito.

Eu usei o software Stellarium, que é um planetário escrivaninha freeware y código abertoEm outras palavras, livre e melhorando constantemente graças à colaboração de vários entusiastas de programação e astronomia. Você pode baixá-lo aqui: www.stellarium.org. Tem uma versão para Android que é facilmente encontrada na Google Store, mas é paga. O preço é pequeno e justo, e cabe a você decidir se vale a pena ou não. Eu também tenho essa versão “de bolso” e a uso muito, especialmente quando quero fazer uma consulta rápida sobre como será o céu em uma data / hora específica e não quero ligar o computador apenas por isso.

Usei a latitude / longitude da minha cidade, São João da Boa Vista, no interior de São Paulo. Apesar de ser um local específico na imensidão do Brasil, um país continental, ele pode dar uma idéia geral do céu aproximado em que está localizado no território brasileiro. Para obter precisão, faça o download e use o software para sua localização.

Aqui estão os mapas simulados pelo Stellarium. Para obter mais detalhes, abra-os em tela cheia no seu computador ou telefone inteligente. Além dos planetas, vale a pena tentar observar a constelação de Órion a oeste, onde estão localizados os “Três Maias”, no final do dia, ao mesmo tempo em que a constelação de Escorpião se eleva do outro lado, no horizonte leste, e é visível. a noite toda Procure também o Cruzeiro do Sul, uma constelação impressionante para os habitantes ao sul do equador. E ainda teremos “brindado” uma lua crescente no céu a noite toda.

Enfim, divirta-se! Viagem! Encontre as estrelas no céu e encontre-se!

Boas observações em casa e em total segurança!

Um abraço do prof. Dulcide! Física e astronomia sempre com muita sabedoria científica Na veia!


Já publicado aqui em Física na Veia!

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *