Você tem um filtro? As imagens do Hubble mostram as cores reais dos objetos espaciais?

Espaço-tempo

Imagem do Telescópio Espacial Hubble da região de formação estelar NGC 2074 (NASA / ESA / M. Livio – STScI)

Você já deve ter se perguntado como conseguimos obter imagens coloridas do espaço tão bonitas. Eles refletem a realidade? Ou é tudo editado em um computador?

A diferença entre os dois não é tão clara. Para entender como isso funciona, você deve primeiro explicar um pouco sobre os detectores nos telescópios. Eles são um pouco diferentes de máquinas fotográficas nós digitais celulares.

No telefone celular, cada pixel tem uma cor predeterminada. Este pixel pode gravar apenas luz vermelha, verde ou azul. Essa selfie colorida e legal é a mistura final de toda a luz gravada na câmera.

Nos telescópios, os pixels não conseguem distinguir as cores sozinhos. Só sabemos quanta luz caiu em cada pixel. Para compor imagens como a que vemos acima, precisamos obter pelo menos três imagens diferentes, com um filtro na frente da câmera que permita apenas uma determinada cor. O resultado final é a composição deste conjunto.

Obviamente, os filtros podem ser um pouco diferentes. Voltando ao exemplo do selfie, quando você postará sua foto no redes sociais, você pode escolher um filtro específico para fornecer o valor da imagem. O processo não é muito diferente para fotos de objetos astronômicos.

Mas então você deve estar argumentando que o resultado final não é real. Mas o que é real lá? Lembre-se de que em um dia ensolarado, as cores da praia em sua foto serão muito diferentes das cores de um dia nublado. As cores podem variar bastante, dependendo da iluminação.

Da mesma forma, imagens espaciais são feitas para destacar contrastes. Isso não significa que as imagens são artificiais, mas apenas uma aproximação do que você realmente veria se estivesse próximo.

Mesmo as fotos tiradas por telescópios amadores não são “reais”: elas exigem que a câmera colete luz por vários minutos ou até várias horas e não representam o que você vê quando coloca seu próprio olho no telescópio.

O mais importante é identificar quais imagens são obtidas com a faixa visível do espectro eletromagnético. Essas são as cores do arco-íris que podemos observar. No entanto, diferentes telescópios podem “ver” muito mais do que isso. Raios-X, microondas, infravermelho … Vários tipos de emissão invisível de energia para nossos olhos.

Esses dados também são processados ​​em um computador para produzir imagens coloridas. Nesse caso, sim, podemos dizer que são cores artificiais, pois não representam a luz emitida pelo corpo e são apenas uma visualização da emissão astronômica, seja por razões científicas ou estéticas.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *