Volante pede desculpas por brincadeira com o Corinthians e revela conversa em troca; o diretor descarta

Sem um acordo com o meia Wellington para renovação de contrato, o Atlético Paranaense tenta definir um destino para o jogador. Nesta semana, surgiu a possibilidade de troca do Corinthians por Camacho. Questionado sobre o assunto, o próprio jogador confirmou as conversas de bastidores sobre esta oportunidade de negócio.

“Ninguém do Corinthians me procurou. O Atlético até me contou sobre uma possível troca com Camacho. Quem lidera isso é o clube, estou esperando o clube definir o que eles querem definir“, frisou, em entrevista ao Fox Sports.

Em entrevista coletiva um pouco mais tarde, o então diretor Duílio Monteiro Alves, que foi demitido em função das eleições, descartou qualquer possibilidade de negócio.

Houve algumas pesquisas sobre Wellington, uma troca com Camacho, mas esse assunto aqui ainda estava morto. Sem possibilidade“, Ele apontou.

Além de falar sobre a possível troca, o panfleto explica uma polêmica do passado. Quando ainda defendia o São Paulo, Wellington fez uma brincadeira ofensiva com o Timão – ao notar a mochila aberta, disse: “Que bom que está em São Paulo, imagine se fosse no Corinthians.”

“Passei quatro anos saindo da periferia do extremo sul de SP, indo para a Praça da Sé estudar e depois treinar lá no Terrão. Sou um cara muito humilde, vi muita gente falando do meu personagem. A piada que fiz no passado estava errada, peço desculpas a todos que se ofenderam. Grêmio e Corinthians se interessaram pela minha contratação e vi que muita gente se lembrava de atitudes passadas. Quero frisar que tenho um passado vitorioso, não vou deixar ninguém falar do meu personagem sem me defender ”, disse, antes de aproveitar a possibilidade de rebater o comentarista Mano, que o havia chamado de“ meio idiota ”.

Era uma piada, eu tinha 20 anos. Pra quem pensa que sou meio burro, quem nunca chutou é fácil falar. Respeito a opinião, mas não sou obrigado a concordar. Pedi este espaço para me expor e dizer isso. Se eu jogar contra o Coritiba, isso significa que nunca mais vou jogar contra o Coritiba? O clube optou por não me colocar no jogo de hoje, não foi minha opção. Que fique claro para todos os fãs: toda vez que eu ia treinar era para dar a vida. Vim da periferia, Jardim Morais Prado, tenho orgulho de falar disso ”, finalizou.

Wellington, é importante destacar, foi comandado por Tiago Nunes no Athletico Paranaense, assim como Camacho. O camisa 20 alvinegro, porém, parece ter reconquistado a confiança do treinador e já estreou nos últimos jogos. Até o momento, o interesse pelo negócio é puramente da equipe curitibana.

Veja mais em: Mercado da bola e Camacho.

You May Also Like

About the Author: Gabriela Cerqueira Corrêa

"Solucionador de problemas do mal. Amante da música. Especialista certificado em cultura pop. Organizador. Guru do álcool. Fanático por café."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *